Tornando a jornada à independência financeira mais leve e prazerosa


Muita ansiedade para alcançar rapidamente a independência financeira?
Veja como aproveitar cada momento de sua vida de forma plena escolhendo as melhores opções em sua jornada.


Imaginar a vida após a independência financeira pode ser um sonho ou choque para as pessoas. Afinal, que vida é essa que eu nunca vivenciei? São comuns o medo e a ansiedade gerados por um novo universo. É normal a percepção de algo muito distinto da realidade que vivemos atualmente. Mas as dores e as delícias continuarão fazendo parte de sua vida, assim como se fazem presentes nesse momento.

Seu futuro na aposentadoria antecipada pode assumir vários tons de cinza. Seja uma aposentadoria definitiva, uma semiaposentadoria ou temporária (veja o texto “Quando e como se aposentar: 5 formas de planejar sua liberdade“). No entanto, o que é certo, agora, é somente o seu presente. E é para ele, sua jornada, e não sobre seu destino, que sugiro algumas reflexões.

Etapas da vida na jornada à independência financeira

Cada ciclo de nossa vida expõe dores e delícias, sem exceções

A vida pode ser categorizada por etapas. Primeiro, a infância, depois a vida escolar que alcança a idade adulta para quem frequenta a universidade. Depois, o início do trabalho, progressão na carreira, a vida a dois, filhos e a responsabilidade perante a família. Posteriormente, o cuidado aos pais e aos netos.

Essas fases podem ser muito bem vividas, mas também mal presenciadas. Outras, podem ser longas ou ocorrer num piscar de olhos e nem nos dar a chance de serem desfrutadas. Cada uma delas, entretanto, traz alegrais e desafios únicos. Elas expõem todas as dores e as delícias de vivenciá-las, nos convidando à constante exploração.

É comum entre rodas de amigos a pergunta: “qual a melhor fase da vida?”. A infância, sem obrigações? A velhice, na aplicação de toda a sabedoria acumulada? O crescimento dos filhos? O ponto é que não existe resposta para a pergunta, mesmo na tentação de encontrá-la. Mas não se iluda pensando que tudo só ficará bem quando alcançar sua independência financeira.

Nossa opinião é fruto, basicamente, de como vivemos ou pretendemos viver cada etapa. É resultado de uma atitude, seja passada, ou intencionada no futuro. Toda fase da vida tem potencial, oportunidades, alegrias e tristezas. É a forma de como você encara isso que formará sua opinião perante cada uma delas.

Você pode escolher viver bem durante todo o período da vida, sem nostalgias e expectativas de que, no futuro, as coisas ficarão melhores. Embora o passado seja conhecido, o futuro é imprevisível. Viva bem o presente, explore o melhor do que tem hoje e torne sua jornada à independência financeira agradável.

Como podemos agir para colocar isso em prática?

1) Aceite as mudanças da vida

Parece piegas? Talvez seja. Mas é uma verdade. A mudança está acontecendo constantemente ao nosso redor e nos responsabiliza frequentemente com nossa capacidade de adaptação.

Há uma frase excelente, atribuída a São Francisco de Assis, que elimina qualquer sentimento passivo nessa ideia. Ela diz:

Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado…
Resignação para aceitar o que não pode ser mudado…
E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.

Primeiro, usemos nossa sabedoria para discernir o que pode ser mudado e o que não pode. Os comentários desse texto referem-se, logicamente, ao segundo caso.

Estamos vivendo uma situação ímpar em nossa pequena história como indivíduos. Uma crise de saúde e econômica que pode afetar profundamente o futuro das relações humanas e o cerne central de vários negócios atuais. Uma mudança tão grande que pode influenciar até mudanças pronunciadas nas relações entre países e na cultura em que crescemos. Os “velhos tempos” podem estar logo ali atrás, ainda à nossa vista.

Muitas dessas mudanças não seremos capazes de reverter. Qual a escolha? Sofrer por/com elas ou nos adaptar? Só podemos explorar oportunidades e aproveitar a vida quando nos permitimos a participar dela com todas as ferramentas que estão à disposição. Façamos o melhor uso dessas transformações. Agindo dessa forma, tornamos melhor nosso dia a dia e percebermos mais claramente o que fazer para aproveitar melhor a jornada à independência financeira.

Admiro muito as pessoas de mais idade que são ativas no mundo online. Entendo que o paradigma em se transpor de um mundo físico para um mundo virtual tenha sido talvez, um dos maiores desafios para a humanidade. Se você não possui mais de 70 anos hoje, talvez não seja fácil você entender o quão difícil isso foi, é, e está sendo para milhões de pessoas.

A discussão é mais profunda do que faz crer as problematizações sociais ou culturais. Acontece na mesma família. Minha mãe, por exemplo, adaptou-se nesse mundo e explora bem todas suas possibilidades. Meu pai ainda não consegue fazer ligação de um celular e não sabe ligar um computador. Esse blog faz 8 anos em 2020, e nunca teve sequer um texto lido por ele, que reclama constantemente do estado do mundo.

Quando eu chegar aos 70 anos, espero estar com o espírito e mente abertos para acompanhar todas as mudanças que virão, enxergando os benefícios que podem trazer à minha vida. Ficar para trás não deve ser uma opção.

2) Aceite as mudanças em você

Mesmo em você, tenha a sabedoria para melhorar o que pode ser melhorado. O que não é possível, aceite e viva bem conforme suas novas condições. Em geral, sofremos um declínio de nossa capacidade física e aprimoramos (ao menos é essa a ideia) nossa sabedoria, que definirá o rumo que tomamos na fase da vida que estamos.

Aceitar que essas mudanças ocorrem continuamente ajudará a tornar o momento presente melhor, facilitando atingir mais tranquilamente sua independência financeira e aposentadoria antecipada. Fique atento aos ajustes essenciais que precisa fazer para desfrutar plenamente seus potenciais e otimizar sua jornada.

Até o ano de 2014 eu corria bastante. Treinava sempre e cheguei a correr 16km sem parar (nem para andar). Comecei, porém, a sentir dores no joelho esquerdo. Apesar de vários exames que fiz, não foi gerado nenhum diagnóstico grave, mas, desde então, deixei de correr, exceto para um pequeno aquecimento eventual antes dos exercícios na academia. O único aeróbico que arrisco hoje é natação, embora faça treinos de exercícios com menos carga, mais movimentos e menos descansos para estimular o sistema cardiovascular.

De que adiantaria viver uma independência financeira com problemas nos joelhos? O quão isso poderia (ou poderá) me trazer de limitação quando eu estiver com mais de 70 anos? Algo não está bem? Se cuide. Mesmo que os médicos não digam nada, evite usar os remédios receitados como padrão, que atuam somente nos sintomas, e não na causa. Ouça e respeite seu corpo.

Muitas vezes precisamos de mais tempo para nos cuidar melhor. Não só fisicamente, mas também em novas experiências que passam a nos atrair mais do que oferece nossa rotina. Procure meios para ganhar mais tempo em sua vida. Com tempo, você pode descobrir diversas possibilidades que imaginava até então, inexistentes.

Estou tentando ampliar esse tempo em minha rotina de gerenciamento de minha carteira de investimento. Desde 2019, estou comparando os rendimentos de minha carteira ativa com minha carteira passiva. Se, com o passar do tempo, a segunda mantiver com alguma segurança a TNRP que preciso para manter minha independência financeira, a tendência é ela ir aumentando cada vez mais a participação no portfólio total.

3) Errar é humano. Persistir no erro, é burrice

Já escrevi em algum texto que os erros são os maiores momentos de nossa existência. Permitir que seus erros passados definam seu presente negativamente é uma atitude que precisa ser superada. Eles prejudicam nossas análises e julgamentos das situações e atrapalham a tomada de decisões.

Precisamos entender que as escolhas erradas do passado, apesar de serem de nossa total responsabilidade, não podem ser mudadas. As consequências já ocorreram e o que ficou foi apenas o aprendizado. Isso pode ser sempre resgatado! O passado, mesmo dolorido, pode ser fundamental para você aprender as lições que tornarão sua vida melhor no futuro.

Absorva gratidão pelos erros que já cometeu. Honre seu passado, mesmo que muitas coisas não saíram como planejava. Lembre-se que cada etapa da vida possui suas dores e delícias, e temos que tirar a melhor lição de tudo. Afinal, mares calmos não formam um bom marinheiro. Isso é ter uma atitude positiva da vida e pavimentar melhor sua jornada até sua FIRE (independência financeira, aposentadoria antecipada).

Estamos vivendo uma crise sem precedentes. É possível que você, caso seja um investidor há algum tempo, tenha perdido muito dinheiro. Não seria um bom momento para pensar no que poderia ter sido melhor? Para você, que ainda não começou a investir, veja que oportunidade para aprender com os erros dos outros! O que fazer diferente?

Mesmo com mais de 10 anos financeiramente independente, há sempre o que aprender. Eu mesmo estava deixando de dar tanta importância à reserva de oportunidade, com a queda abrupta dos juros reais no Brasil e escassez de investimentos rentáveis e com menos volatilidade. Essa crise me revelou que, muitas vezes, pode ser mais inteligente alocar mais em liquidez, deixando de ganhar um pouco para ter a oportunidade de ganhar mais no futuro.

4) Foque no que é realmente importante na etapa em que está vivendo

Por mais que as coisas pareçam ruins, há algo de bom a ser tirado de sua etapa de vida atual. Identifique-as! Olhe em volta e avalie como essa situação pode fortalecer seus propósitos, o quanto é possível aprender com todos os problemas e as alegrias que cerca seu ambiente. Quanto mais parar para reconhecê-las, mais apreciará esse trecho que o levará à independência financeira.

Está preso em casa? Aproveite para reforçar seus laços familiares! Tempo sobrando? Aprenda algo que ainda não saiba! Está com menos dinheiro disponível? Reforce as medidas que podem tornar seu orçamento mais enxuto. Perdeu muito dinheiro na renda variável? Programe uma reformulação em sua carteira de investimentos para uma alocação de ativos que reflita suas expectativas. Agradeça pela oportunidade de mudança!

Busque refletir sobre o que é realmente importante em sua vida. Será que você precisa de tudo que mantém no dia a dia? Será que um pouco de minimalismo não lhe faria uma pessoa melhor e mais feliz? Remover fardos de bens físicos e situações mal resolvidas lhe propiciam paz, sabedoria e serenidade para enfrentar novos desafios. E, de quebra, lhe dá mais tempo para tomar as melhores decisões. Leve mais simplicidade e harmonia à sua vida!

5) Use o que aprendeu para ensinar os outros

A evolução da espécie humana ocorreu com o conhecimento acumulado e decisões de milhões de pessoas. É a única maneira da sociedade avançar. Faça sua parte: transmita o que você aprendeu, usando suas habilidades, sabedoria, talento e o que mais você considera positivo em você. Não esqueça das pessoas próximas, mas se existe a possibilidade de doar-se mais, porque não escrever um blog? Ou um livro?

Creio que é quase uma obrigação transmitir às gerações mais jovens as lições que aprendemos na vida. Não a entenda, porém, no sentido de “fardo”. Perceba que é uma atitude que trará significado para a etapa da vida em que vive no momento. É sobre isso que falamos no texto, não? Torne esse período mais expressivo e curta seu momento até sua aposentadoria antecipada.

Mesmo que você considere que não há muito a transmitir, use seu tempo para ajudar de outras formas. Voluntarie-se em algo que acredita. Ajude pessoas. Torne o mundo melhor com suas próprias atitudes, e não cobrando dos outros, como mais impostos para os ricos ou ajuda governamental. Seja protagonista nas ações e não ativistas fora da realidade.

Enfim, ceda algo às pessoas de alguma forma. É a melhor maneira de aproveitar cada etapa de sua vida. Cada uma delas é uma aventura, que precisa ter algum sentido.

Existe, na verdade, um destino?

Se eu pudesse resumir a ideia do texto em uma frase, seria: não faça de sua vida apenas um destino, mas sim uma longa jornada que precisa ter um sentido para ser apreciada. Exacerbar ansiedade para atingir rapidamente sua independência financeira pode tornar sua vida até lá um inferno. Não vale a pena.

Cada etapa possui seus problemas e obstáculos. Se olharmos para eles com um modelo mental positivo, como tentei apresentar aqui, fica mais leve e produtivo superá-los. Aceitar que mudanças ocorrem por todo lado e que podemos tirar proveito disso, estimula o crescimento pessoal. Focar no que importa e ajudar os outros, nos dá incentivo e significado para continuarmos.

E, assim, com sabedoria e vivendo todos seus momentos, sua aposentadoria antecipada estará próxima. E, quando você chegar até ela, verá que ela será, como todas as outras, mais uma etapa em sua vida, também com suas dores e delícias. Você almejará outros objetivos. Perceberá então, que o destino termina por ser uma ilusão. A jornada estará sempre presente.

3 2 votes
O texto foi bom para você?
Assine
Notifique-me a
guest
16 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Adriana
Adriana
3 meses atrás

Perfeito esse texto! Nos faz refletir sobre este momento que estamos vivendo! E planejar o futuro com sabedoria! Parabéns André

Investidor Inglês
3 meses atrás

Fala André! Cara, ficou excelente esse final “o destino termina por ser uma ilusão. A jornada estará sempre presente”. Seu texto me fez lembrar de um livro e um desenho. O primeiro passo me fez lembrar de Quem mexeu no meu queijo, acredito que você deva ter lido. Esse livro eu li para a minha mãe quando meus pais se separaram. Ela estava tendo dificuldade em “aceitar a mudança”. Quanto ao desenho, lembrei do Kung Fu Panda. A busca pelo pergaminho do dragão pode não valer de nada se você não saber quem é você e o que você quer.… Leia mais »

Rodolpho
Rodolpho
3 meses atrás

Amigo, acabei de favoritar sua página para acompanhá-la mais vezes. Eu seguia sempre o blog desativado do “economicamente incorreto”, e agora passei a seguir o SR IF. Encontrei no seu blog um equilibrio que sempre busquei ler, pois não podemos pensar só na condição FIRE negligenciando a alimentação, saúde. Não faz sentido, não é mesmo? Sempre devemos buscar a harmonia. Parabéns pelo conteúdo.

Aposente Cedo
3 meses atrás

Isso não é um post, é uma aula! Salvei para reler na posteridade.
Abraço

Viver Sem Pressa
Reply to  Aposente Cedo
3 meses atrás

Assino embaixo do Aposente Cedo rsrs. Isso não é um post, é uma aula!!!

Simplicidade e Harmonia
3 meses atrás

André,

Gostei da sequência de passos que apresentou.
Aceitar as mudanças inerentes à vida e em nós mesmos que consideramos negativas não é algo agradável, mas resistir a isso, só atrasará ainda mais a jornada. Penso que ter consciência sobre a impermanência da vida pode tornar tudo um pouco menos turbulento nesse sentido.

Abraços!

Simplicidade e Harmonia
Reply to  André
2 meses atrás

Eu não tinha reparado, André.
Agradeço pelo link. 🙂

Racionalidade Financeira
3 meses atrás

Excelente reflexão. Estou começando a escrever um blog e por um acaso falei sobre o tema aqui referido também, de uma forma bem mais superficial e mais sobre uma adjacência que aborda o tema. Gosto de pensar, assim como o nome do seu blog, numa lenta viagem, formada por pequenos passos mais palpáveis, cheio de descobertas, mas objetivando o desejado. E mesmo que não chegue, terei uma boa história para contar e experiências a compartilhar.

Acompanhe:
16
0
Por que não deixar seu comentário?x
()
x