Quando e como se aposentar: 5 formas de planejar sua liberdade!


Como se aposentar com tranquilidade e independência financeira?
Veja 5 tipos de aposentadorias e como ser protagonista de sua própria vida.


Com a entrada em vigor da reforma da previdência, parece que já ficou claro que o aumento da expectativa de vida e a queda da natalidade é algo que não sustenta a distribuição de benefícios no longo prazo. Logo, é inevitável que voltemos a assistir o mesmo filme alguns anos à frente, dado nosso sistema previdenciário de repartição.

Ou seja, essa reforma de 2019 não foi a primeira e não será a última: se você está contando com o governo para colocar o pão diário na sua mesa, é melhor tratar muito bem seus filhos, pois você pode precisar deles no futuro.

Se você faz parte dessa maioria da população, precisa entender que o investimento é o único meio de antecipar sua liberdade financeira, caso você não esteja presente em um pequeno estrato privilegiado do país. Não acumular patrimônio durante seu período de trabalho, é perder o protagonismo de sua vida e ser um dependente. Ou do governo ou de seus filhos.

Quando se aposentar? Veja 5 formas de alcançar sua aposentadoria!

É verdade que, em um país de renda média-baixa como o Brasil, não há muita facilidade para se alcançar essa liberdade muito cedo. Porém, o constante aporte mensal em bons investimentos, ajudarão a alcançar seus objetivos através da aposentadoria, mesmo que ela não represente a independência financeira completa que estamos acostumados a perseguir.

Nesse texto, mostrarei que existe 5 formas diferentes de aposentadoria. Veja qual se adéqua mais a suas condições, desejos e estilo de vida.

Como se aposentar: 5 formas de aposentadoria

Pesquisei no Google se alguém já havia escrito algo sobre o tema. Deparei-me com esse artigo que diz que as 5 formas diferentes para se aposentar é por tempo de contribuição, por pontos (85/95), pedindo uma aposentadoria especial, por tempo de contribuição com “atividade especial” ou por idade urbana.

Mas não, essas classes de aposentadorias não têm nada a ver com o assunto. As diferentes maneiras de se aposentar que comentarei nesse texto referem-se a um estilo de vida consequente de um planejamento próprio. As pessoas que fogem da aposentadoria tradicional buscam um uso mais produtivo de seu tempo e realizam um monitoramento constante de suas reservas financeiras para saber o momento certo de exercer sua liberdade e autonomia em sua vida.

Como cada pessoa possui perfis, aptidões e objetivos diferentes, não há uma resposta certa de qual das formas de aposentadoria é a melhor. Elas representam somente uma liberdade de escolha. E, uma vez ambicionada, dá a você a responsabilidade própria de conquistá-la. Enfim, como se aposentar com tranquilidade então?

Aposentadoria tradicional

Essa é a forma tradicional que, talvez, mais de 90% dos brasileiros utilizarão. É a única que não ocorre por vontade própria. Afinal, as regras para alcançá-la não são definidas por nós mesmos, e sim pelo sistema de previdência social no qual você será dependente.

Sem protagonismo. Sem liberdade. Você será sempre um peão cujas jogadas serão decididas pelos governantes locais. Entretanto, ela também não deixa de ser uma situação consequente, onde a causa foi a negligência pessoal em não se preparar financeiramente para o futuro.

Você quer apenas a aposentadoria tradicional?

Temos aqui o padrão clássico mundial. As pessoas estudam e se preparam até os 20 e poucos anos e trabalham até os 65, sem construir um patrimônio sólido que permita viver para o resto da vida. Na sequência, entram com seus papéis para pedir ao INSS sua aposentadoria e ficam a mercê de baixos reajustes e novas regras que serão criadas mais à frente. Isso quando não obtém seus benefícios cortados, como funcionários públicos de alguns estados.

Na aposentadoria tradicional, não existiu, durante o período de trabalho, um planejamento pessoal e ativo da pessoa para decidir o seu futuro. Situação que muda muito nos próximos 4 tipos de aposentadorias possíveis.

Aposentadoria antecipada

A aposentadoria antecipada é muitas vezes também chamada de independência financeira, uma vez que você não depende mais de seu emprego para suprir seus gastos pessoais e demais demandas. Elas estão intimamente relacionadas uma vez que, sendo independente financeiramente, é comum abandonarmos nosso emprego de segunda a sexta, das 08 às 17hs, e considerar-se “aposentado” antecipadamente.

Não vou entrar nesse texto nos rótulos atribuídos pelas pessoas ao termo “aposentado”. Para esse papo de hoje, entenda-se o termo como sendo uma pessoa que não é dependente de uma renda externa para viver bem. Uma pessoa que não precisa vender seu tempo para pagar suas contas: ela é protagonista e possui domínio sobre sua própria vida. Ou seja, uma pessoa financeiramente independente.

A aposentadoria antecipada só é possível se, no período de “trabalho”, possuirmos uma estratégia de acúmulo de patrimônio e montarmos uma boa carteira de investimentos. São os rendimentos desse portfólio que tornarão possível nossa vida futura sem a dependência de um emprego.

O que é a aposentadoria antecipada?

A idade possível para atingir a independência financeira é muito variável e está diretamente relacionada a alguns fatores como:

O bom monitoramento dessas variáveis será fundamental para que você consiga se aposentar aos 35, 40, 45 ou 50 anos. Quanto antes você atingir esse objetivo, maior será o tempo de sua vida que poderá dedicar-se ao que realmente gosta.

Aposentadoria temporária

Entretanto, a aposentadoria antecipada não é a única forma de ser protagonista em sua vida. Você pode programar, por exemplo, um período em sua vida sem a necessidade de trabalhar para realizar uma meta. E isso pode ocorrer ainda jovem, provavelmente antes dos 40 anos.

Levando para um extremo, talvez não seja inteligente viajar de mochilão pelo mundo e depois finalizar com uma subida ao Everest quando já estiver velho. Se esse é o seu sonho, é possível programar um período de 5 anos para a viagem e toda a preparação necessária para atravessar aquele monte de gelo.

Como se aposentar: aposentadoria temporária

Nesse caso, você poderá conseguir atingir sua necessidade financeira mais rapidamente, uma vez que é mais barato sustentar-se por 5 anos do que pelo resto de sua vida. Dependendo daquelas variáveis que comentei no tópico anterior, você poderá conquistar essa independência financeira temporária aos 30, 35 ou 40 anos, e estaria livre para atingir seus objetivos. É comum ouvirmos a expressão “período sabático” para essas decisões.

É verdade que, nesse caso, você precisaria voltar ao trabalho após 5 anos e teria mais um período para acumular patrimônio para a idade mais avançada. Talvez não consiga se aposentar aos 55 nem aos 60, mas convenhamos: você realizou um sonho que poucos poderão realizar, uma vez que sofrerão com algumas limitações se deixar o mercado de trabalho com mais de 60 anos. Everest, nem pensar!

Semiaposentadoria

A semiaposentadoria também é uma forma interessante de se programar para ter mais tempo em sua vida ainda jovem. Pode ser uma boa escolha para pais que tiveram filhos em idade mais avançada ficarem mais próximos a eles e acompanharem seu crescimento.

A estratégia consiste em se aposentar “parcialmente”, digamos em meio período. A partir de determinada idade, seria possível, por exemplo, trabalhar apenas 4 horas por dia (a hora dos filhos na escola!) e passar o resto de seu dia em liberdade com eles ou vivenciando outra atividade que deseja.

Quando se aposentar: a semiaposentadoria

Como no caso da aposentadoria temporária, a exigência de acúmulo de patrimônio durante o período de trabalho integral é menor, uma vez que você não precisa atingir a independência financeira plena. Você continuará obtendo uma renda contínua de um trabalho parcial.

Assim, é possível alcançar essa situação de semiaposentadoria em uma idade bem antecipada. A desvantagem é que você ainda não é completamente livre financeiramente e precisa complementar os rendimentos de sua carteira de investimento com um salário de meio período.

No Brasil é um pouco mais complicado tornar essa situação uma realidade, ao menos para quem trabalha formalmente, em função de nossa rígida legislação trabalhista, que muitos ainda aplaudem. Mas nos EUA, por exemplo, é algo plenamente possível.

Mini aposentadorias

Tive inicialmente contato com o conceito de mini aposentadorias através do livro “Trabalhe 4 Horas por Semana, de Tim Ferris. Sua proposta é levar o conceito de aposentadoria temporária ao extremo, planejando vários momentos de “longas férias” durante sua vida para fazer algo que lhe empolgue.

Viagens são as razões mais óbvias para planejar sua rotina através desse conceito. Poderíamos, por exemplo, ter um período de acúmulo inicial de patrimônio dos 20 aos 30 anos, ficar fora do mercado por 5 anos, voltar e trabalhar mais 10, etc.

É claro que esses números são muito relativos e sempre dependentes daquelas 4 variáveis que citei no tópico de aposentadoria antecipada. O objetivo deve ser programado em função de sua eficiência em gerenciá-las.

No livro, Ferris não recomenda exatamente isso, mas sim um estilo de “trabalho” onde você poderia viver em uma “quase férias” eterna. Mas para conseguir algo do gênero, é necessário ser um “nômade digital”, viabilizado totalmente por um trabalho à distância. Isso é dificilmente aplicável para mais de 90% dos brasileiros.

Mesmo nos EUA, existem menos de 5 milhões de pessoas (para uma população de mais de 320 milhões) que se autodenominam “nômades digitais”, segundo esse infográfico do Economista Visual.

Mini aposentadorias: o que são?

Para os profissionais liberais, entretanto, o sistema das mini aposentadorias pode ser possível, uma vez que eles não dependem tanto de empregadores e correm menos riscos para retornar ao mercado assim que precisarem.

Além das viagens, é uma boa ideia para acompanhar filhos pequenos, até que eles comecem ir à escola. Um casal que tivesse, por exemplo, 3 filhos, usaria 3 mini aposentadorias em sua vida no período mais essencial para o desenvolvimento de uma criança.

Aposentar-se deveria significar protagonismo

É claro que essa classificação é didática. Poderíamos ter uma mistura de situações entre todas as formas de aposentadoria. O intuito nesse texto foi mostrar que não existe uma única forma de conquistarmos o controle de nossas próprias vidas. Cada um sabe quando o calo aperta e o desejo se evidencia.

A reflexão que mais importa é que estamos vivendo cada vez mais e seremos mais ativos fisicamente quando idosos (ao menos para quem pratica bons hábitos de saúde). A aposentadoria já deixou de ser um período de incapacidade física, e tornou-se um estágio onde podemos aproveitar muito mais o que a vida pode nos oferecer.

E o único meio de estarmos no controle desse movimento é reservamos uma parcela de nosso salário para a construção de uma boa carteira de investimentos, que fornecerá juros e dividendos para mantermos o padrão de vida que tínhamos enquanto estávamos no mercado do trabalho. A consequência disso é possuir, através do próprio mérito, a autonomia para gerir o tempo em sua vida da forma que melhor lhe convier.

Para aprofundamento no que considero mais fundamental para alcançar esses objetivos, leia “Os 5 elementos que compõem a inteligência financeira“.

E vocês, leitores? Quais os tipos de aposentadoria que vocês estão perseguindo ou já conquistaram?

Explore mais o blog pelo menu no topo superior!…
Para me conhecer mais, você ainda pode… ler sobre um resumo de minha história, ouvir uma entrevista em podcast, assistir uma live no Instagram, ou adquirir um livro que reúne tudo que aprendi nos 20 anos da jornada à independência financeira.

E, se gostou do texto e do blog, por que não ajudar a divulgá-lo em suas redes sociais através dos botões de compartilhamento?

Artigos mais recentes:

5 2 votes
O texto foi bom para você?
Assine para receber as respostas em seu e-mail!
Notifique-me a
guest
14 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Investidor Inglês
2 meses atrás

Fala André! Poxa e pensar que o que acumulei até aqui me permite tirar um período sabático. (Não de 5 anos hehe) Quando comecei a poupar, tema do post de segunda, nem tinha noção dessas coisas rsrs Mas graças a vocês da blogosfera, hoje já vejo um norte para o esforço lá do inicio. Pena no meio do caminho eu ter me acomodado e não buscado aumentar a renda, tornando assim minha aposentadoria antecipada bem mais distante. Contudo, se o plano continuar a correr como está, acredito que aos 50 estarei livre! Mas iniciativas para diminuir esse prazo estão sendo… Leia mais »

Renato
Renato
2 meses atrás

90 anos! uau, do jeito que vai, seu eu sobreviver 2020, não chego nos 65 !

Danilo
Danilo
2 meses atrás

Ótimo texto André.

É muito temerário deixarmos nosso futuro e a nossa aposentadoria nas mãos e controle do Estado. Hoje ele já nos mostra a sua incapacidade, imagine daqui uns 20, 30, 40 anos como estará o cenário? Parece nada promissor…

Enfim, hoje já me convenci que eu mesmo tenho que cuidar da minha aposentadoria e me preparar para o pior, torço para que isso não ocorra. Mas diante de um possível colapso do sistema previdenciário tenho que ter um plano “B” em mãos.

Abraço!

Danilo
Danilo
Reply to  André
2 meses atrás

Valeu André

Sinceramente o seu blog foi um divisor de águas pra mim. Aprendi e tenho aprendido muito por aqui.

Muito obrigado.

Forte abraço!

Lewis Koster
Lewis Koster
9 meses atrás

Meu planejamento é uma mistura dos dois primeiros tipos de aposentadoria: Pretendo trabalhar até os 52 ou 53 anos, e a partir daí passar a viver de meus investimentos. Ao mesmo tempo pretendo continuar contribuindo para o INSS pelo teto, até os 65. Com isso creio que terei uma velhice tranquila. Também vale ressaltar que já utilizei o terceiro tipo de aposentadoria citado: o período sabático! Há alguns anos atrás passei um ano e meio sem trabalhar, vivendo de meus rendimentos, e esse período foi MUITO BOM !!! Infelizmente tive que voltar a trabalhar, pois o patrimônio acumulado ainda não… Leia mais »

AA40
9 meses atrás

Muito bom. Uma coisa que poucos que se dão conta é que a aposentadoria tradicional está contida dentro da aposentadoria antecipada, de modo que podemos sim calcular e contar com o dinheiro do INSS no futuro, agora com a reforma. Da mesma forma nos EUA, SS pode ajudar a complementar a renda e ser uma bela surpresa no final das contas. Só não podemos contar só com ela é lógico.

AA40
Reply to  André
9 meses atrás

Eu já sou um pouco mais positivista com relação a isso. Pode até mudarem novamente a previdência e é provável mas acho extremamente improvável extinguí-la ou praticamente todos os brasileiros na 3ra idade irão morrer de fome. Não vao deixar isso acontecer, se nem nos EUA deixaram que é capitalismo selvagem, no semi-socialismo brasileiro não acontecerá. Mas logicamente como vc falou, jamais podemos contar com isso como algo principal, mas apenas como um bonus na sua regra dos 4%. Abcs

Acompanhe:
14
0
Por que não deixar seu comentário?x
()
x