Dos investimentos às despesas: seu menu de opções é completo?


Nosso menu de opções nem sempre é claro. Seja em finanças, hábitos de consumo ou no restaurante: há mais alternativas que imaginamos.
O ponto é como acessar o que está oculto. O tempo necessário para garimpá-las vale a pena? Ou existe uma forma mais simples de percebê-las? Veja 7 ideias!


Em tempos recentes, tenho usado o Facebook diariamente apenas para acompanhar algumas discussões em grupos específicos. Comento pouco, muito por impaciência com alguns tipos de postagens, ou mesmo por tempo. Mas muitas vezes deparo-me com alguns bons questionamentos que rendem conhecimentos mais profundos ou informações práticas que você pode usar para a vida.

Uma dessas informações apareceu na minha timeline tempos atrás. E remeteu-me a uma ideia que observo constantemente: o menu que nos oferecem nem sempre é completo. Muitas vezes há opções que vão além do que podemos ver. Usarei esse exemplo para ir um pouco mais além nessa compreensão.

Seu menu de opções de investimentos é completo?

O pensamento de Frédéric Bastiat em seu menu de opções

Bastiat foi um economista francês no século XIX que combateu as ideias socialistas, o estatismo e o excesso de leis outorgadas pelo Estado. Uma de suas ideias mais valiosas é o nosso excesso de atenção apenas nas coisas de fácil percepção, resultando em uma visão limitada das reais possibilidades, ignorando muitas coisas fundamentais, que não está a olhos vistos.

Seu mais clássico texto sobre o assunto é a falácia da janela quebrada, onde ele discorre que qualquer destruição não pode ser classificada como algo positivo para a sociedade, mesmo que pessoas beneficiadas imediatamente com a perda de terceiros obtenham lucro com a situação.

É muito mais fácil posicionar-se baseando-se em informações que são amplamente divulgadas, mas sem profundidade. Tomando como exemplo a ideia superficial de que “o que seriam dos vidraceiros se as janelas não quebrassem?”, parece que isso poderia de alguma forma, ser algo bom.

Mas um pensamento oposto, longe de uma reflexão que não possui uma associação direta à ação, é ignorado. Afinal, o dono do vidro quebrado poderia dar outro destino ao seu dinheiro, que, provavelmente, seria mais útil à sociedade na forma de investimentos do que simplesmente na reparação de um dano.

Comentei sobre Bastiat também no artigo “Legalização do porte de armas e desarmamento: três argumentos essenciais“, onde mostro que muitas coisas não são vistas e consideradas nesse debate.

Você já pensou que o menu de opções que possui na vida pode não estar completo? É fácil decidir entre as opções que já estão à nossa disposição. Mas será que não existem outras alternativas ocultas que poderiam ser melhores?

Imaginamos muitas vezes que possuímos o direito de escolher livremente, mas ignoramos que essas escolhas podem ser previamente manipuladas por menus que não oferecem todas as opções. Raramente nos perguntamos sobre o que não está presente ou o porquê de termos apenas essas opções. Ou ainda, se elas realmente estão ligadas às nossas necessidades e quais são os reais objetivos de quem oferece o menu.  Vamos então entender o que me levou a repensar essas ideias naquela época.

O que faltava no menu de opções da corretora Modal

Não fico mudando a todo o momento de corretoras de valores, embora esteja sempre acompanhando as taxas cobradas. Até então, eu pensava que a Socopa me oferecia o melhor custo-benefício: home broker estável, bom atendimento e taxas razoáveis.

Porém, eu estava vendo apenas o que me era apresentado: o menu de de tarifas que as corretoras disponibilizam para todos através de seu website. Nesse momento, entra a importância no acompanhamento de alguns grupos que participo no Facebook. Em um comentário de uma determinada postagem, um membro do grupo comentou que existe um plano na corretora Modal que não está em seu “menu de opções”.

O plano possui tarifas bem menores do que a média de mercado, tornando-se mais vantajoso do que a Socopa. Fiquei animado: afinal, é sempre bom reduzir as tarifas operacionais. Além disso, eu possuía a vantagem de já ter conta aberta na corretora, usada até um tempinho atrás para “brincar” de DT. Sabendo disso, solicitei a mudança de meu plano e comecei a testar novamente a plataforma para operações.

Embora eu não tenha gostado da corretora Modal, em função da operacionalização do home broker e pelo fato de que pouco tempo depois a Clear zerou suas corretagens, conhecer opções que não estão à luz do público pode ser muito útil na medida em que a gente se movimenta para procurar alternativas mais interessantes. Ou ainda, podemos barganhar melhores condições dos serviços que hoje usamos.

Posteriormente, resolvi escrever sobre as principais corretoras do mercado, inclusive disponibilizando uma planilha de suas taxas e uma calculadora dos custos que os investidores terão mensalmente em função de suas operações: “As corretoras de valores com as menores taxas de corretagem“.

Quais as opções que você não vê ao seu redor, dia a dia?

Partindo desse exemplo, será que existem mais oportunidades ao nosso redor que não estão em nosso menu de opções habitual? Com certeza, sim! A impossibilidade de aproveitar todas as alternativas é inevitável. Afinal, não podemos estar sempre por dentro de tudo, ou regularmente próximos de pessoas que nos apresentem as opções ocultas e vantajosas.

O que pode estar oculto no seu menu de opções?
Encontrar boas oportunidades não é tão difícil assim

Se tentarmos forçar essa situação, a busca de tal expectativa demandará muito de nosso tempo, esforço e paciência. Vamos girar em uma espiral sem fim, afastando-se cada vez mais do foco de nossos objetivos.

E isso não é bom. Sempre existe um meio-termo, uma condição onde almejamos buscar resultados com esforços razoáveis, que não nos desviarão de nossos propósitos centrais na vida. Mas onde ele está? Não existe resposta pronta, mas sim alternativas que se adéquam a cada pessoa, estilo de vida, tempo disponível, meio social e expectativas. Ou seja, você precisará encontrar sua própria resposta.

Uma atitude sábia para encontrar oportunidades sem perder o foco passa por duas soluções: procurar alternativas sem desviar nosso padrão de atividade diário ou modificar nossa forma de pensar em algumas situações. Muitas vezes trazemos, com os anos, muitos paradigmas difíceis de serem modificados. E eles podem velar um menu de possibilidades em nossa mente.

Algumas ideias para descobrir o que está oculto

Em nossa rotina diária, é possível que passemos por várias situações de oportunidades secretas que só descobrimos se agirmos ativamente no momento. São ideias que não demandarão muito tempo disponível, nem criarão situações de stress. Para não perder o foco no assunto principal do blog, restrinjo as ideias a área de finanças e consumo:  

1) Compras na internet

Em compras feitas na internet, em sites como Mercado Livre, por exemplo, fretes são cobrados. Mas nem sempre está disponível a informação de que o frete pode sair de graça acima de um certo valor: é necessário contatar o vendedor.

Aqui em casa fazemos compras em um empório online onde, após esse contato, descobrimos que o frete fica gratuito com uma compra acima de R$ 300,00. A partir de então, compramos para fazer um pequeno estoque ou convidamos outras pessoas a fazer uma compra compartilhada.

Ainda sobre fretes, lembre também que, sendo um membro Prime da Amazon, você paga somente R$9,90 por mês e não paga frete (embora sempre é necessário comparar antes) em produtos distribuídos pela empresa. Além disso, há muitas outras vantagens nessa assinatura: veja aqui se o Amazon Prime vale a pena para você!

2) Pedir descontos

Ainda na situação acima, posteriormente a pessoa responsável pelas vendas do empório disse que, se compramos mais de R$500,00, ganhamos um desconto de 5%. Nada disso estava escrito na telinha do computador: eram opções ocultas no menu.

Pedir desconto, aliás, vale para qualquer situação, como em lojas menores em shopping centers. Muitas vezes, há a alternativa de pagar mais barato com dinheiro ou cartão de débito, sem que isso seja claramente divulgado.

É interessante como a maioria das pessoas não faz tal questionamento. Vergonha? Sentimento de inferioridade? Já foram escritos vários livros que mostram que esse é o estilo da maioria dos milionários. Mesmo que você não precise do dinheiro, peça seu desconto e faça uma boa ação com ele.

3) Cuidado com o menu de opções de gerentes e assessores de investimentos

Se você ainda possui (e usa) conta em grandes bancos e costuma ir até o seu gerente para pedir sugestões de aplicação para montar sua carteira de investimentos, o que recebe em troca? Um fundo com taxa de administração altíssima, um CDB com no máximo 85% do CDI ou um título de capitalização?

Ou o seu assessor de investimentos da corretora sempre entra em contato contigo para oferecer aquele fundo de investimento que vai fechar logo logo a captação ou uma nova opção de fundo de previdência. Não se esqueça: os gerentes e assessores de investimentos precisam bater suas meta e oferecem a você apenas o que está é vantajoso no menu de opções deles.

Vá além e escolha os melhores investimentos que o seu banco e corretora de valores oferece e não fique preso às opções oferecidas.

4) Opções de investimentos ocultas

No menu de opções de seu banco ou corretora da valores devem aparecer várias alternativas de investimentos em LCIs ou LCAs, não?

Talvez você saiba que elas estão disponíveis quando o banco possui lastro para sua emissão. Imagine, entretanto, que no dia em que possuir um montante para aplicação você não encontra essas opções para investimento?

Verifique se há disponibilidade de títulos no mercado secundário, muitas vezes com excelentes taxas. Isso não estará escrito no menu de investimentos da instituição.

5) No fast-food, peça o que não aparece no menu luminoso

Você já foi no McDonalds? Faz tempo que não frequento um fast-food, mas se nada mudou, acredito que uma opção numérica do menu deve estar custando mais de R$30,00.

Você olha no menu acima dos caixas e não vê nada mais em conta. Peça um cheeseburguer. Aliás, peça 5. Devem custar a mesma coisa do que o seu combo. Um exemplo clássico que não está no menu. O que é revelado são as opções que mais dão lucro para a empresa, e não o que é melhor para você.

6) Opções de pizzas?

Quando pedíamos pizza, acontecia algo semelhante. Perguntávamos os preços e sempre nos eram oferecidos as opções mais caras. Mas quando falávamos com aquela voz condicional: “Tem alguma em promoção?”, apareciam opções pela metade do preço.

Hoje temos aplicativos como o IFood, que nunca colocam as opções de promoções logo na tela inicial. Tente rolar para a direita e repare que normalmente ela é a última. Mas sempre tome cuidado com o frete pois ele só vai dar as caras claramente no fechamento do pedido. E cheque seu SMSs sempre para ver se não chegaram alguns cupons de desconto. Muitas vezes na correria, nem vemos as mensagens que chegam.

Outra opção geralmente desconsiderada é comprar pizzas pré-assadas. São mais baratas (ainda mais se a distribuição de gás canalizado é coletiva no condomínio) e tão gostosas quanto.

7) Comprar coisas de segunda mão é cool

Precisa mobiliar a casa, ou uma parte dela? O padrão de pensamento do brasileiro (um dos povos mais “ricos” do mundo) sugere procurar lojas de móveis conhecidas e comprar tudo de primeira mão. Mas a possibilidade de procurar por móveis e utensílios usados não deveria estar em nosso menu?

Muitas vezes achamos excelentes objetos a preços muito baixos, uma vez que a maioria das pessoas quer livrar-se logo de coisas que estão ocupando espaço. Ou objetos muito novos cujos compradores não se adaptaram. Com sites de venda P2P na internet como OLX, tal ação tornou-se muito mais fácil.

A mesma ideia vale para a compra de automóveis. Muitas pessoas ainda fazem questão absoluta de comprar modelos 0km e mantém oculto, em seu paradigma mental, apenas essa opção no menu. Carros usados são, na maioria das vezes, muito mais vantajosos. A sua possibilidade de ser mais livre aumenta proporcionalmente ao valor que você paga em seu carro.

Bônus: alugar também vale!

Quem casa quer casa? Mas será que vale a pena entrar em um financiamento para comprar um imóvel? Alugar está em seu menu de opções? Veja aqui porque acredito que alugar uma casa ou apartamento é sempre melhor do que comprar.

Mais ideias?

Acredito que se há uma regra geral para isso, eu diria que é: pergunte sempre, sem medo ou vergonha. Isso não demanda tempo, nem tira o seu foco nas coisas que são importantes. É a melhor forma de encontrar menus ocultos.

Claro que todos gostaríamos de estar no lugar certo e na hora certa, como foi meu caso de ver a informação do novo plano da corretora Modal em um grupo de discussões específico do Facebook. Mas precisamos ter consciência que isso nunca será uma regra geral. E pode nunca mais acontecer.

O caminho mais efetivo sempre passa pelo nosso protagonismo. Se precisamos rever alguns dogmas que possuímos e modificar algumas atitudes para conseguir resultados distintos, não será diferente para descobrir opções invisíveis nos menus de nossa vida. No fundo, tudo acaba sendo uma função de nossa responsabilidade e individualidade.

Se você lembrar de algo mais que pode estar escondido nos menus de opções que nos apresentam, ou quiser comentar o que foi dito, deixe sua contribuição abaixo!

Explore mais o blog pelo menu no topo superior!…
Para me conhecer mais, você ainda pode… ler sobre minha história aqui, ouvir uma entrevista em podcast ou ainda, assistir uma live no Instagram.

E, se gostou do texto e do blog, por que não ajudar a divulgá-lo em suas redes sociais através dos botões de compartilhamento?

Artigos mais recentes:

Resumo da semana (03/07/20)

Você já sabe que a primeira semana de cada mês é dedicada à atualização de dois textos com acompanhamentos mensais: a comparação entre o rendimento de…
Leia mais
5 1 vote
O texto foi bom para você?
Assine
Notifique-me a
guest
16 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
RAFAELA PAULA NASCIMENTO DIAS
RAFAELA PAULA NASCIMENTO DIAS
22 dias atrás

Oh André, seu blog não tem mais conexão com o disq? Estou logada nesse app mas não aparece meu nome quando comento aqui, o que houve?

Anônimo
Anônimo
22 dias atrás

Olá André, quanto tempo! Eu assistir sua live no Instagram…legal ouvir você falar já te admirava mas quando se vê e ouve a pessoa se sente mais próximo e transmite mais segurança rs. Continue elaborando conteúdo para nós!

Scant
Scant
22 dias atrás

sites:

estante virtual (livros) enjoei (misto de olx com mercado livre)

sobre o ifood: (https://manualdousuario.net/restaurantes-whatsapp-pandemia/) – pode ser mais barato comprar direto do restaurante atualmente

criar listas de favoritos na amazon ou mercado livre tb ajuda a planejar melhor as compras

abs!

Blog Menos do que Ganha
22 dias atrás

Deixar de acreditar que se precisa de algo na verdade não se usa mais:
 

  • Câmera profissional usada em uma viagem a cada 2 anos;
  • Kindle que ficou encostado;
  • Livros usados;
  • Impressora que usamos uma vez na vida e que temos só pra não ter que ir na gráfica da esquina (acabei de vender)
  • Vender as coisas do bebê que cresceu (roupas, brinquedos, berço, carrinho de bebê)

Resumindo, vender tudo que tá encostado.
 

Last edited 22 dias atrás by Blog Menos do que Ganha
Scant
Scant
3 meses atrás

Ótimas ideias
Obrigado

Rafaela Paula Nascimento Dias
Rafaela Paula Nascimento Dias
8 meses atrás

Valeu André, a única coisa que não consigo aplicar nas ideias acima citadas é comprar móveis usados, aqui na minha cidade eles custam quase o preço de um novo rsrs…mas valeu! Andre, faz um post falando sobre o que fazer depois de construir a reserva de emergência, não consigo fazer a minha render significativamente com essa taxa Selic baixa e prestes a baixar mais ainda. Estou brincando ainda no ramo de ações… abraços

VL
Reply to  Rafaela Paula Nascimento Dias
8 meses atrás

Olá Rafaela!

Pois é, dependendo da cidade, a variação de preços é grande mesmo.

Quando vc diz o que fazer depois é em que investir? Veja a postagem da carteira de investimentos que fiz para minha filha e a atualização posterior. É um começo bem interessante!

Abraços!

Rafaela Paula Nascimento Dias
Rafaela Paula Nascimento Dias
Reply to  VL
8 meses atrás

Tudo bem, me passa o link. Me diz é normal dividir o valor da reserva de emergência e aplicar em renda fixa com prazos de um ano, perdendo assim a liquidez diária? É o que estou fazendo, por que senão não rende quase nada mesmo. Obrigada!

VL
Reply to  Rafaela Paula Nascimento Dias
8 meses atrás

Não, na verdade não é o correto. A reserva financeira deve ser mantida, mesmo com baixos rendimentos, pois sua função não é de “investimento” e sim de segurança.

Essa realidade de juros baixos já existe há algum tempo lá fora e deve permanecer, ao menos um tempo, no Brasil. Mas os conceitos não mudam.

Você pode pensar em diminuir sua reserva e investir em outras coisas, mas tenha consciência que está abrindo mão de uma segurança. Se algo ocorrer, as perdas podem ser maiores.

O artigo inicial é esse. A atualização é essa.

Abraço!

Rafaela Paula Nascimento Dias
Rafaela Paula Nascimento Dias
Reply to  VL
8 meses atrás

Pois eh, fiz investimentos sem liquidez diária pensando nos rendimentos, daqui a um ano vou resgatar, mas foi menos da metade da reserva, uns 30%. Tenho aplicações em bolsa, mas sou iniciante rs. Vou ler seu artigo, obrigada André!

VL
Reply to  Rafaela Paula Nascimento Dias
8 meses atrás

Entendi, Rafaela! Sucesso!

Acompanhe:
16
0
Por que não deixar seu comentário?x
()
x