Fundos de fundos de investimentos (FOFs): o investimento compensa?


Já faz algum tempo que estou procurando os melhores fundos de fundos de investimentos (os famosos FOFs) para diminuir o tempo dedicado à gestão do portfólio. Veja as rentabilidades dos fundos de fundos que acompanho (Vítreo, XP, Itaú, Inter e Nubank), comparadas a renomados fundos multimercados, atualizadas até setembro de 2021.


Após longos dias, eis que consegui escrever um novo artigo! Apesar de meu tempo estar atualmente voltado ao meu filho, compartilharei brevemente os acompanhamentos das rentabilidades de alguns FOFs, os fundos de fundos, e fundos multimercados. E, claro, como isso pode interferir na alocação de minha carteira de investimentos.

Quem me acompanha por aqui, sabe que, desde 2018, estou, aos poucos, em um grande processo de simplificação de gestão de investimentos. O objetivo é gastar menos tempo no gerenciamento da carteira e, com isso, ter mais tempo livre, que, agora, está sendo melhor usado na educação do Filipe.

Fundos de fundos: os melhores FOFs compensam?

As alternativas que venho estudando são carteiras simplificadas de ETFs, gestão com robôs de investimentos e fundos de investimentos ativos. Publico as rentabilidades detalhadas de cada carteira (acesse-as pelos links), e condenso-as nessa página mensalmente.

Nesse texto, foco na classe especial de fundos de fundos de investimentos que proporcionam ainda menos trabalho na gestão de uma carteira de investimentos: os FOFs.

As características de uma carteira de fundos multimercados

Como estou quase lá nos 50 anos e já há mais de 11 anos no processo de fruição de renda, meus estudos e investimentos atuais consistem em portfólios equilibrados de gestores, cuja identificação se aproxima mais dos fundos multimercados. Minha própria carteira de investimentos ativa segue a linha de uma alocação equilibrada de ativos.

Assim, os multimercados são os fundos de investimentos que melhores emulam a estratégia. Eles proporcionam uma boa alternativa para a renda passiva do investidor: não há a necessidade de se preocupar na escolha de ativos ou realizar o rebalanceamento de alocações: o gestor faz isso para você. Ele somente precisa transmitir a confiança necessária e não cobrar um preço absurdo pela gestão.

Para gerenciamento de riscos, entretanto, é temerário confiar em apenas um gestor. Eu não recomendaria a ninguém manter mais do que 5 a 10% de seu patrimônio concentrado em apenas uma casa de investimentos. Diversificando entre vários, o investidor pode montar uma carteira de fundos multimercados e controlar sua alocação, através de novos aportes ou rebalanceamentos.

Porém, existe a dificuldade de um rebalanceamento mais efetivo entre os fundos, assunto exposto em um artigo explicando o porquê passaria a deixar de lado fundos individuais ativos no portfólio dos fundos de investimentos.

Remessa Online - Cupom de desconto

Além disso, apesar dessa estratégia reduzir altamente o tempo que você gasta em uma carteira ativa ou mesmo em uma carteira passiva de ETFs (onde você também definiria o percentual das classes de ativos e precisaria operar em home-broker), ela ainda necessitava de algum acompanhamento para manter seu gerenciamento de riscos adequado.

O que analiso atualmente, é uma solução ainda mais simples.

FOFs: os fundos de fundos podem disponibilizar ainda mais tempo para você

Os FOFs que compram cotas de outros fundos multimercados propõem-se a realizar esse gerenciamento de risco para o investidor. Eles podem existir com as mais diversas estratégias disponíveis, e meus estudos estão restritos, no momento, aos fundos de fundos amplos, que podem investir em fundos multimercados, fundos de ações, de crédito privado e mesmo alguns ETFs e proteções cambiais. Ou seja, é uma confiança na estratégia do gestor, que, no entanto, possui limites definidos para evitar riscos desnecessários.

Esses fundos de fundos eliminam o problema do gerenciamento de riscos, uma vez que pulverizam seu patrimônio em vários fundos de investimentos. Em tese, você poderia ter todo seu investimento apenas nele, apenas cuidando de sua reserva de emergência, uma vez que, em geral, o prazo de resgate dos FOFs é longo.

Como sempre, não existe almoço grátis: os FOFs cobram uma taxa de administração para realizar essa gestão e simplificar sua vida. Porém, em algumas gestoras (Vítreo, Inter e Nubank) há retorno parcial das taxas de administração dos fundos que compõem o portfólio de seus fundos de fundos, o que pode gerar um “desconto” nesse pedágio.

Os fundos de fundos acompanhados

Como ainda é uma estratégia recente no Brasil, o histórico de rentabilidade ainda é pequeno (menos de dois anos para os FoFs mais antigos e “neutros”. Atualmente existem muitas outras estratégias, como fundos de fundos de ações, fundos de fundos de commodities, fundos de fundos agro etc.

Mas, como citei no início: se seu objetivo é simplificar e manter seus investimentos em apenas um ativo, escolha um fundo de fundos de estratégia neutra, que possui todos os ativos no portfólio com uma alocação coerente, sem correr riscos e vieses desnecessários.

FOF Vítreo Melhores Fundos

Não é segredo para os leitores que invisto já há algum tempo nesse fundo. Ele faz parte de minha carteira “passiva” de rendimentos (fundos de gestão ativa, mas “passiva” para mim, pois não preciso gerenciar nada) cujas rentabilidades são publicadas mensalmente.

A taxa de administração desse FOF é de 0,75% ao ano e 10% de performance sobre o que exceder 100% do CDI. Como as taxas dos fundos investidos são devolvidas parcialmente ao cotista, a taxa global do fundo fica em torno de 1,722%.

Repare que o fundo investe a maior parte em produtos ativos, mas possui uma parcela em produtos passivos, como caixa, inflação longa, dólar, ouro e criptomoedas. Essas alocações passivas, feitas em geral em produtos da própria Vítreo, ajudam na baixa taxa de administração do fundo. Veja abaixo a composição teórica de sua carteira ou acesse a última atualização:

FOF Melhores Fundos Vítreo - composição e rentabilidade

Inter Selection Multiestratégia FIC FIM

Nesse fundo do Banco Inter, a taxa de administração é de 0,855%, sem taxa de performance. A administração, entretanto, não é clara na taxa geral do fundo, preferindo dizer no regulamento que a taxa de administração máxima é de 2,80% ao ano.

Não consegui, pelo site, mostrar toda a composição do fundo em apenas uma imagem. Clique aqui para percorrer as alocações e conhecer os fundos de investimentos que o compõem.

Inter Selection Multimercados - Composição e rentabilidade

XP Selection Multimercado Plus FIC FIM

Nesse fundo da XP, a taxa de administração é de 0,85% ao ano mais 20% de performance sobre o que exceder 100% o CDI. Uma amostra da composição do fundo pode ser vista abaixo. Não encontrei uma informação mais atual.

XP Selection Multimercado Plus - composição e rentabilidade

XP DNA Vision FIC FIM CP

Os fundos da família DNA da XP procuram alocar em investimentos ativos e passivos, como o FoF Melhores Fundos da Vítreo. Justamente por isso, sua taxa de administração é mais baixa: de 0,70% ao ano, podendo chegar a 1,18% com as taxas dos fundos que o compõe. A taxa de performance é de 10% sobre o que exceder o CDI.

Possui, entretanto, algumas diferenças quanto a alocação, com mais renda variável e menos renda fixa e multimercados. Aloca ainda boa parcela em renda variável no exterior. Dentre os fundos DNA da XP, entretanto, é o que mais se aproxima do FoF da Vítreo em termos de risco e volatilidade.

Devido a alocação fora do Brasil, a melhor comparação seria com o FoF Melhores Fundos Blend da Vítreo, que busca distribuir 20% de seu patrimônio em fundos no exterior (percentual semelhante ao Vision). Eu, particularmente, prefiro dois fundos diferentes, para que eu possa separar minhas “estratégias de câmbio” no portfólio.

De qualquer forma, acredito que é um bom fundo para entrar na comparação, com as ressalvas de sua alocação.

Nu Ultravioleta Multimercado FIC FIM

O fundo de fundos do Nubank foi disponibilizado aos investidores em 14/07/2021, mas já possui um histórico de rentabilidade desde junho de 2020.

O fundo inova por não cobrar taxa de administração própria e focar-se apenas na taxa de performance de 20% sobre a rentabilidade que ultrapassar o CDI. Até então, entretanto, não encontrei uma informação clara sobre a taxa geral de administração do fundo.

Possui também uma informação parcial dos fundos que o compõem, como pode ser visto abaixo. A maioria possui cobrança de 2% de taxa de administração, além da performance. Apesar de comentar em seu blog que há taxa de rebate, não informa seu percentual.

Fundo de fundos Nubank Ultravioleta Multimercados - Rentabilidade

Carteira Itaú de Investimentos

Esse fundo de fundos do Itaú era desconhecido por mim (desde minha separação com os grandes bancos, deixei de procurar algo em seu portfólio) e foi sugerido por um leitor na seção de comentários.

Minha primeira impressão foi, entretanto, positiva. Primeiro por se tratar de um fundo com baixa taxa de administração total (máxima de 1,50%). Não há, entretanto, taxa de performance, que incentivaria os gestores a buscar rendimentos melhores. A taxa geral poderia ser mais baixa acrescentando a performance.

A carteira, por sua vez, pareceu-me bem estruturada, com uma alocação em renda variável entre 25 a 30%, mesclando mercados nacionais e internacionais. O relatório do banco Itaú é bem detalhado, como pode ser visto abaixo.

Fundo de fundos Itau Carteira Multimercados - composição

Rentabilidade dos fundos de fundos acompanhados

A comparação de rentabilidade dos três FOFs está sendo feita através do portal “Comparador de Fundos”. Regularmente checo se há alguma inconsistência com as informações dos próprios gestores, pois eu usava anteriormente o site “Mais Retorno” e notei que, neste, algumas informações não estavam corretas.

Pretendo atualizar o gráfico de rentabilidade mensalmente, junto com as atualizações das rentabilidades das carteiras de investimentos. Se quiser acompanhar, fique ligado na chamada das redes sociais ou inscreva-se na newsletter do blog.

Segue o gráfico de performance dos três fundos de fundos, com exceção do fundo ultravioleta do Nubank, do fundo Carteira Itaú e do XP DNA Vision (mais novos), com uma janela de tempo mais ampla:

Fundos de fundos de investimentos (FOFs): o investimento compensa? 1

Assim, na janela de 14/10/2019 a 30/09/2021, o ranking de rentabilidade dos três FOFs está assim composto:

  1. FoF Melhores Fundos Vítreo: 19,74%
  2. XP Selection Multimercado Plus FIC FIM: 11,76%
  3. Inter Selection Multiestratégia FIC FIM: 6,75%

É uma boa vantagem do FOF da Vítreo. Como comentei, o histórico ainda é curto e só o tempo vai confirmar o sucesso da estratégia. Seguiremos acompanhando.

Para incluir o fundo de fundos do Nubank, o Carteira Itaú e o XP DNA Vision, precisaremos reduzir essa janela, uma vez que são mais recentes. Nessa situação, temos as seguintes rentabilidades:

Rentabilidades FOFs Vítreo, Inter, Nubank, Itau e XP

Nessa janela de 10 de junho/2020 a 30 de setembro/2021, temos o seguinte ranking de rentabilidades:

  1. FoF Vítreo Melhores Fundos: 15,16%
  2. XP DNA Vision FIC FIM: 11,62%
  3. XP Selection Multimercado Plus FIC FIM: 10,55%
  4. Carteira Itaú: 10,15%
  5. Nubank Nu Ultravioleta Multimercado: 7,19%
  6. Inter Selection Multiestratégia FIC FIM: 6,50%

O fundo de fundos multimercados da Vítreo ainda possui uma boa vantagem nessa janela, enquanto as rentabilidades do fundo de fundos do Inter e Nu Ultravioleta do Nubank, deixa a desejar. Veja que, às vezes, a procura da menor taxa de administração não reflete a rentabilidade final do fundo.

Você, porém, pode pensar: ok, mas e se escolhermos criar uma carteira de renomados gestores de fundos multimercados e fazermos a gestão? Até pode dar um pouco mais de trabalho, mas… não compensaria a cobrança da taxa de gestão?

Tento responder essa pergunta com outro gráfico. Veja a comparação do FOF Vítreo (linha rosa) com vários multimercados renomados:

Rentabilidade FOF Vítreo versus fundos multimercados

Ou seja, você precisaria acertar muuuito bem sua alocação para alcançar a mesma rentabilidade do FOF (em rosa). Isso ocorre basicamente porque o FOF realiza balanceamentos frequentes (principalmente quando está aberto para captação, onde os novos aportes ajudam a reequilibrar as alocações).

Além disso, pode permitir sua alocação em fundos com investimentos mínimos muito altos, inacessíveis para pequenos investidores ou para quem não quer se expor demais em apenas um gestor.

Fundos de fundos de investimentos (FOFs): o investimento compensa? 2

E, se analisarmos a fundo, a taxa de administração não fica tão mais alta, pois, além dos rebates, o FOF investe em estratégias com baixíssimas taxas anuais e ainda pagaria IR na venda de cotas (enquanto um FOF possui o benefício fiscal de ser isento) … Além disso, para receber os 0,75% de volta, precisaria emular exatamente a mesma composição do FOF.

Se usar, por exemplo, um fundo de inflação longa fora da Vítreo, pagaria mais do que 0,07% anuais ou então, um fundo cambial que cobraria mais do que 0,05%. Essas são as taxas que a Vítreo cobra para investimento em sua própria estratégia, o que faz com que a taxa geral do FOF seja razoável. É a mesma estratégia utilizada pela XP em seu FoF DNA Vision.

Volatilidade dos FoFs acompanhados

É claro que as comparações devem ser feitas com parcimônia, pois há diferenças de alocação entre ativos entre eles, como comentei anteriormente. Porém, é impossível chegarmos a um confronto ideal, até porque a parcela de multimercados em cada um deles é grande. E o que existe dentro de cada multimercado é uma caixinha de surpresas…

Enfim, temos de partir de algo. Afinal, “feito” é melhor que “perfeito”. De qualquer forma, compartilho também as volatilidades dos 5 FoFs abaixo para apresentar uma ideia dessa variação de alocação.

Volatilidade dos FoFs da Vítreo, XP, Inter, Nubank e Carteira Itaú

Conclusão

Bem, conclusão, conclusão mesmo, só vem com o tempo. Uma janela de pouco mais de dois anos ainda é baixa para decidirmos algo tão importante. É por isso que meus movimentos ocorrem aos poucos, sempre observando as tendências que analiso mensalmente. Mas é claro que, por enquanto, eu venho mantendo a estratégia de aportar no FOF da Vítreo.

É uma estratégia que, se mantiver esse bom rendimento, será o Santo Graal no equilíbrio entre rentabilidade e tempo demandado na gestão da carteira de investimentos. Se você faz questão de paz e tranquilidade, vale estudar essa possibilidade.

Ah, não é demais esclarecer que não estou recebendo um tostão da Vitreo por apresentar esses resultados e dividir com os leitores minha escolha atual. A única forma que monetização desse blog é com alguns links de livros de Amazon, no uso da Remessa Online para transferência ao exterior e na divulgação de meu livro. 😊

E vocês, investem em fundos de investimentos? Em FoFs? Como está o planejamento para o futuro?

Explore mais o blog pelo menu no topo superior! E para me conhecer mais, você ainda pode…
assistir uma entrevista de vídeo no YouTube
ler sobre um resumo de minha história
ouvir uma entrevista em podcast ou no YouTube
participar de um papo de boteco
curtir uma live descontraída no Instagram
… ou adquirir um livro que reúne tudo que aprendi nos 20 anos da jornada à independência financeira.

E, se gostou do texto e do blog, por que não ajudar a divulgá-lo em suas redes sociais através dos botões de compartilhamento?

Artigos mais recentes:

5 13 votes
O texto foi bom para você?
Assine para receber as respostas em seu e-mail!
Notifique-me a
guest
53 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Anônimo
Anônimo
6 dias atrás

Olá André, parabéns pelo blog!
Uma dúvida, estatisticamente (salvo engano meu) no longo prazo é comprovado que um ETF de ações global (VT por ex) teria um resultado superior com menor risco quando comparado à esses fundos multimercados / FOF’s. Gostaria de saber o motivo de você não alocar o que vai usar no longo prazo (> 10 anos) num ETF de ações global neutro.

Abraço.

Vitor Silva
Vitor Silva
1 mês atrás

Dei uma fuçada nos fundos da Itaú Asset e achei alguns interessantes, mas como que acessa? Tem que ter conta no Itaú? Pagar tarifa? Ser Personnalité? Cruzes!

Biel
Biel
1 mês atrás

Olá André, primeiramente queria parabenizar e agradecer seu conteúdo aqui no site, tenho aprendido muito. Em segundo, minhas perguntas tem textões de contexto, já peço desculpas por isso, mas é para fazer sentido. Sou professor e por isso não quero e nem tenho tempo muito tempo para dedicar com investimentos. Mas eu não terceirizei 100% dos meus aportes no robô da monetus ou magnetis porque eu vejo os fundos de renda fixa deles e fico meio de nariz torto de ver rentabilidade abaixo do CDI nos comparadores de fundos enquanto posso investir eu mesmo em uma LCI 120% do cdi… Leia mais »

Anônimo
Anônimo
1 mês atrás

Ótima comparação…
Já que incluiu o Carteira Itaú, sugiro dar uma olhada no BB Multimercado LP Carteira de Investimentos.
Tem a versão “Plus” também, que tem mais renda variável (não cheguei a ver as proporções) achei interessante que mesmo a versão Plus, que seria mais agressiva, possuí uma volatilidade menor que algum dos fundos citados e com um retorno próximo a eles.

PS.: O Itaú tem a carteira versão agressiva também

AUGUSTO LUIZ Pereira de OLIVEIRA
AUGUSTO LUIZ Pereira de OLIVEIRA
1 mês atrás

Boa noite André! Curto bastante teus textos. Acompanho sempre que possível. Pelo que entendi, tu aproveita a vende de ativos dos rebalanceamentos para fazer caixa para custear as despesas, correto? Como ficaria se tu migrasse todos teu patrimônio para fundos, uma vez que em geral os prazos para saque são longos? Tu sacaria, tipo uma ou duas vezes por ano e deixaria em uma aplicação de renda fixa?
E uma curiosidade, tu faz cerveja em casa? Tenho muito interesse neste assunto! Heheheh Abraço!

gustavo
gustavo
1 mês atrás

André. Boa tarde. Esses dias estava pensando, não sei se você publicou coisa do tipo. Como você está na independência financeira a longa data, como você faz os aportes dos seus gastos mensais, no caso seu patrimônio está em ações que pagam dividendos ou fiis ou em ações de crescimento e você vai sacando os valores que é necessário durante o mês.
Estou lhe perguntando isto, porque como o srif ele possui um percentual bom do patrimônio dele em fiis que geram os rendimentos mensais. Ultimamente desanimei muito com os fiis, devido a tributação e a rendimentos também.

grande abraço

Carlos Braga
Carlos Braga
1 mês atrás

Olá, André. Parabéns pelas publicações! Tenho alguns “aninhos” a mais que você mas ainda sou iniciante nos investimentos. Continuo aprendendo muito em seu blog e não exagero em dizer que é onde eu encontro mais informações relevantes para o que procuro em termos de investimentos, considerando minha idade, situação profissional e familiar atual. Quero parabenizar também todos os seus leitores ativos, que postando seus comentários e dúvidas enriquecem em muito o ótimo trabalho que você já realiza. Eles praticamente “te obrigam” a dar detalhes e esclarecimentos que aprofundam os temas tratados e assim aprendemos muito mais. Por fim, curta bem… Leia mais »

Vagabundo
2 meses atrás

Eu tenho esse do itau desde o ano passado. Foi meio que aposta, porque tinha aberto ha pouco tempo quando entrei. Tbem tenho o itau selecao multifundos, que esta patinando desde o ano passado. Esse é o maior da carteira, que vou comecar a resgatar aos poucos pra aportar no Carteira e no DNA Vision. Só nao vou pro vitreo por preguiça de abrir mais uma conta em outra corretora hahaha. Bom artigo, vou continuar acompanhando.

Vagabundo
Reply to  André
1 mês atrás

Temos mais ou menos a mesma idade, cara. O que é rebate ? Desconto? No longo prazo ninguem garante que continuem com essa vantagem. No momento nao vale a pena mais papelada e mais controles pra mim. Vamos ver como os FoFs reagem à queda desse mes provocada pelo desarranjo nas contas publicas, ameaças à democracia, a volta da esquerda, invasão de Talebans e outros bichos.

Bilionário do Zero
2 meses atrás

Eu prevejo que no futuro terei apenas alguns ETFs.
Eu montei minha carteira de ações e FIIs para o longo prazo a quase 3 anos, mas vendo o tempo que gasto lendo relatórios e analisando as empresas da minha carteira, sem nem buscar mais novas oportunidades, apenas acompanhando o que já tenho… dá vontade de ir para ETFs. Abs

Anônimo
Anônimo
2 meses atrás

Oi André! Parabéns pelo blog!!!

Uma dúvida, considerando uma carteira com diferentes classes de ativos (tesouro, ações, fiis, stocks etc), aportes frequentes , eventuais vendas e consequentemente a variacao do percentual de cada ativo/classe na carteira ao longo de um período, como você calcula a rentabilidade global?

Usa um aplicativo ou sistema? Criou sua própria planilha?
Qual seria o método correto? Em uma breve pesquisa vi que há uma forma de calcular usando cotização, seria isso?

Muito obrigado!

Anônimo
Anônimo
2 meses atrás

Ola André! Parabéns pelo excelente post! 

Outro fundo que pode ser interessante para ser considerado na comparação é o Carteira Itaú – CNPJ 35.650.636/0001-63.

Anderson
Anderson
Reply to  André
2 meses atrás

Ola Andre! Não sei dizer se o fundo é oferecido fora do Itau. Talvez não, mas nada impede de abrir uma conta gratuita lá.

Aqui tem mais informações: https://www.itauassetmanagement.com.br/content/dam/itau-asset-management/content/pdf/flyers/lancamento/Carteira_Ita%C3%BA_de_Investimentos.pdf

Berti
Berti
2 meses atrás

Olá André,
Excelente post!
Coincido muito com a busca de equilíbrio e tempo investido entre fazer a gestão da carteira e estar com a família!
Aproveito para deixar como sugestão que avalie outro fundo da Vitreo que se chama Oportunidades de uma vida. Tenho seguido a performance dele e parece interessante também.
Abraco!

Bruna
Bruna
2 meses atrás

André, quando você diz

“Eu não recomendaria a ninguém manter mais do que 5 a 10% de seu patrimônio concentrado em apenas uma casa de investimentos”

em uma situação extrama de deixar a carteira no piloto automático com all in FoFMelhores fundo da Vitro (ou outro) não é uma contradição?

Estou começando agora a ler sobre investimentos e não está claro pra mim o uso da palavra “casa”. Quando meu dinheiro está na Vítreo qual é a segurança que tenho? Ela como corretora não é um risco também?

Bruna
Bruna
Reply to  André
2 meses atrás

Voltando agora para ler a resposta… Muito obrigada, esclareceu bastante!

Edson
Edson
2 meses atrás

Ótimo artigo, André.

Você saberia dizer se no fundo da Vitreo a percentagem correspondente a cada classe é fixa? (por ex, ações é sempre por volta de 30%?)

A XP tem os fundos DNs que também são FOFs e um deles (o Energy) tem um perfil (e rendimento) parecido com o da Vitreo, mas a percentagem parece variar de acordo com o cenário.

Você considera essa postura ativa (de tentar adivinhar o que renderá melhor dependendo do contexto) melhor ou pior?

obrigado

Cesar
Cesar
Reply to  André
2 meses atrás

Para mim estes fundos XP estão mais para FIA do que para MM. IMHO, é preferível ter 100% em ações em “FIA raiz” com gestores 100% focados e experientes em RV.

Edson
Edson
Reply to  André
5 dias atrás

Obrigado pela análise, André.
Um outro detalhe importante desses fundos DNA é o prazo de resgate, de apenas D+7 (conta D+60 da Vitreo), o que é uma vantagem aparente mas ao mesmo tempo é motivo de preocupação, já que a maioria dos fundos subjacentes tem um prazo maior que isso. Não sei qual é a mágica que fazem, mas não deve ser de graça (talvez eles façam uma operação de crédito implícita que penalize todos os demais cotistas).

Danilo
Danilo
2 meses atrás

Excelente post André, como sempre.

Apesar da pequena janela de tempo para se analisar, na sua opinião, o investimento em FOFs pode se tornar, também, em uma excelente alternativa para se alcançar a independência financeira, prinpalmente em virtude da economia de tempo?

Forte abraço!

Leo C
Leo C
2 meses atrás

Excelente análise André!
Você já chegou a olhar o Vitreo Melhores Fundos Blend? Ele inclui Fundos globais também (até 20%), dando portanto uma exposição internacional na carteira. A performance está abaixo da Melhores Fundos, mas me pareceu uma boa forma de diversificação com bastante simplicidade para o investidor PF.
Abraço.

Anônimo
Anônimo
Reply to  André
2 meses atrás

Não compreendi muito bem André! Então tendo ambos os fundos (FoFMF e o Global) sua estratégia de rebalanceamento está fixada na diferença de 20% no máximo entre uma e outra?

Leo C
Leo C
Reply to  André
2 meses atrás

Olá André, obrigado pela resposta.
Entendi seu ponto de aportar mais no Blend quando o dólar está baixo. Faz muito sentido. Além disso eu também tenho um fundo de dólar, que “pede” alocação quando o dólar cai. Imagino que você faça algo semelhante.

Além disso, você tem algum controle de alocação entre esses 2 FOFs Melhores Fundos, para eles por exemplo, ficarem 50/50, 40/60, algo assim?

Cesar
Cesar
2 meses atrás

Vejo afinidades aqui. Também estou pelos 50 e querendo “terceirizar” meus investimentos com bons gestores. Tenho já alguns MM, FIA e Globais. Invisto no FoF Vitreo desde sua criação. Meu ponto eh que hj tenho 30% do meu patrimônio replicando a Carteira Empiricus (similar ao fundo Vitreo Carteira Universa). E ser “gestor” e Trader deste meu MM está me cansando bastante sobretudo a parcela razoável de Renda variável. Meu estudo hoje eh migrar estes 30% para fundos de investimento e ficar livre deste dia-a-dia cansativo. Hj o Bruno Mértola fez comentário do seu blog!

LEONARDO MACHADO FELISBERTO
LEONARDO MACHADO FELISBERTO
Reply to  André
2 meses atrás

Foi no podcasts episódio 34. Bacana de mais!!!

Gustavo
Gustavo
2 meses atrás

Ótima publicação viagem lenta. No grupo que estou no telegram do jhon bogle coloquei sua matéria lá, coincidentemente hoje eles publicaram esse fundo do nu bank.
Mas eu na sua situação faria mesma coisa, deixar no automático e curtir a vida e a família, perde-se muito tempo analisando e no final a diferença é muito pouca.

Acompanhe:
53
0
Por que não deixar seu comentário?x
()
x