Como a queda na bolsa de valores pode deixar você rico: 7 ideias


Você investiu em ações recentemente? O que fazer e como lidar com a queda na bolsa?

Veja aqui algumas ideias (a 5ª é a principal!) do porquê a baixa dos preços das ações na bolsa de valores pode deixar, na verdade, você rico a longo prazo.


Se você está preocupado com a queda recente das ações na bolsa de valores, talvez não esteja preparado para investir em renda variável. O mercado é o que é: um balcão onde as pessoas compram e vendem participações nas empresas, cujos preços são estabelecidos pela lei da oferta e procura. Logo…

Investir na bolsa é investir em renda variável. E ela varia…

No pregão, se há alguém vendendo, há alguém comprando. O que muda na retração dos índices é a percepção do valor de cada papel. Aquela ideia de que a maioria dos investidores está vendendo as ações em uma queda na bolsa de valores é falsa: o mesmo número de investidores estão comprando a mesma quantidade de papéis. Ou seja, esses direitos de participação estão apenas trocando de mãos. De que lado ficar?

Essa troca privilegia os investidores mais experientes, que tem uma probabilidade de reconhecer melhor os ativos sub-precificados. Os novatos – ou ansiosos, tendem a vender rapidamente com a queda, muitas vezes quando ela já está em um suporte, criando condições para o índice para subir novamente.

O objetivo aqui não é fazer previsões para quantos pontos a bolsa vai chegar. O que pretendo esclarecer é que o mercado de ações e renda variável (incluindo fundos imobiliários e renda fixa de vencimentos longos) varia constantemente, e essas tendências diárias, semanais e anuais são, na verdade, uma fotografia momentânea de uma tendência muito maior. Veja abaixo, por exemplo, o gráfico do Ibovespa de 15 anos. Clique para ampliar.

Gráfico histórico índice Ibovespa 1995-2020 mostrando algumas das quedas na bolsa de valores em algumas ocasiões.
Gráfico histórico índice Ibovespa 1995-2020

Veja a quantidade de quedas na bolsa que ocorreram no meio do período. Se isso é normal mesmo em países estáveis, imagine no Brasil cuja economia gira exageradamente em torno da política. E que política, hein?…

Estar na bolsa de valores pressupõe que pensemos a longo prazo e que tomemos algumas precauções para enfrentarmos bem as quedas que sempre vão ocorrer. E ainda, usá-las para ficarmos mais ricos no futuro.

Então, o que fazer com a queda nas bolsas de valores?

Seguem algumas ideias abaixo.

1) Não entre em pânico

Nenhuma atividade na vida é bem feita se tomamos resoluções precipitadas. Sejam decisões referentes a pessoas, ao seu emprego, a seu carro ou sua casa e inclusive, com seu dinheiro.

Se você investe em ações ou outra renda variável, você precisa estar consciente de suas altas e baixas. Nas quedas, você precisa de sangue-frio para agir corretamente nesses momentos. Sem esse controle emocional, é impossível se dar bem nesse mercado. Manter a calma pode significar tomar boas decisões que deixarão você rico no futuro.

Pare de prestar atenção na TV ou nos portais financeiros da Internet. As notícias escatológicas nos levam a tomar decisões impensadas. Se estas pequenas quedas na bolsa estão fazendo você perder o sono, é muito provável que você vá agir por impulso. E se for fazer isso, tome já a melhor decisão: saia do mercado de ações o quanto antes e seja feliz.

2) Pense em seus objetivos e em sua estratégia

Você precisa ter uma estratégia para vencer na bolsa de valores. Se você não tem uma, lamento, você vai engrossar o lado dos perdedores e entregar ações com bons preços aos vencedores. Algumas perguntas que você deve fazer se vai entrar ou se já está no mercado de ações:

  • Qual o patrimônio que devo alocar na renda variável?
  • Que tipo de ações vou comprar? Empresas de crescimento? Empresas com bons dividendos?
  • Quantas ações preciso ter na minha carteira de investimentos?
  • Vou estudar eu mesmo as ações ou vou terceirizar as escolhas?
  • Vou confiar cegamente nas pessoas a quem terceirizei a decisão de compra e venda?
  • Estou pensando no curto ou no long prazo?
  • Estou preparado para lidar com a complexidade da declaração anual do imposto de renda?
  • Tenho uma reserva de emergência para que eu não precise vender minhas ações baratas quando a bolsa estiver em baixa?
  • Pensando no meu patrimônio como um todo, qual minha estratégia?

Se você não tem respostas para uma dessas perguntas, não entre no mercado de renda variável. Se já estiver, procure as respostas rapidamente ou saia já. Nesse caso, a queda na bolsa pode fazer com que você fique rico de outra forma, mas não no mercado de ações.

3) Não pense somente no preço da ação, pense em seus dividendos

Se você decidiu comprar ações para longo prazo que pagam bons dividendos, você não deve se preocupar tanto com o mercado em baixa. Ele não é, na maioria das vezes racional e você pode colher os bons frutos dessa irracionalidade.

Acompanhe menos os preços e aprofunde-se na empresa em que você é sócio. Acompanhe seus balanços trimestrais, visite-a, compre seus produtos, tenha um bom relacionamento com ela. Avalie sempre o fluxo de dividendos que ela direciona ao acionista.

Venda apenas se perceber que o preço de sua ação se descolou de seu valor. E lembre-se que isso pode ocorrer tanto com a queda na bolsa de valores como em sua alta. Em um mercado em baixa, manter ações pagadoras de bons dividendos (ou aportar mais nelas) pode fazer seu patrimônio crescer muito a longo prazo.

4) Não pense apenas em múltiplos, pense no crescimento geral da empresa

Muitos vivem de trades pensando na mudança nos múltiplos fundamentalistas de cada papel (se você não sabe o que são múltiplos, não deveria estar no mercado de ações).

Os múltiplos, principalmente calculados após balanços trimestrais, são influenciados por lançamentos não recorrentes, por valores intangíveis, por uma estratégia de longo prazo da empresa e principalmente pela irracionalidade dos preços do mercado.

Porém, pense na empresa em sua integralidade. Se for uma empresa com grande perspectiva de crescimento e bem gerida, seus múltiplos podem parecer ruins em um primeiro momento, mas o futuro pode trazer boas surpresas.

Já uma empresa com excelentes números pode sofrer com a estagnação e a concorrência, e vir a ser um mico depois de alguns balanços.

Os múltiplos fundamentalistas podem ajudar muito a decisão de compra e venda das ações, mas nunca devem ser tomados como uma certeza absoluta. Em uma queda na bolsa, eles tornam-se muito atrativos, mas analise bem se há real fundamento no mercado em baixa ou se é uma irracionalidade do mercado. Nem todas as baixas são oportunidades. Saber diferenciá-las das armadilhas, pode fazer a diferença em seu patrimônio daqui a alguns anos.

5) Você possui uma boa alocação de ativos? Rebalanceie seus pilares já!

A alocação de ativos pode ser entendida grosso modo como uma boa diversificação de seus investimentos. Essa estratégia é construída com os seguintes passos:

  • Diversifique seus ativos basicamente em 3 ou 4 pilares, ou seja, em grupos diferentes de investimentos;
  • Esses pilares devem ser poucos ou inversamente correlacionados, isto é, quando um deles está caindo, o outro está valorizando;
  • Estabeleça um percentual-alvo de seu patrimônio para cada um deles;
  • Rebalanceie regularmente seus ativos quando esse percentual se desviar de uma regra pré-estabelecida.

O passo do rebalanceamento é essencial para ter sucesso com a queda na bolsa de valores: você pode usar recursos de um pilar de investimentos que se valorizou e comprar ações com preços depreciados. As probabilidades estão a seu favor: feito continuamente, é uma das melhores formas de aumentar seu patrimônio sustentavelmente.

Parece complexo, mas não é. Eu sou adepto dessa estratégia para meus investimentos. Se desejar conhecer mais, leia em “A alocação de ativos – um guia para iniciantes“. Essa estratégia é o melhor caminho para construir riqueza a longo (nem tão longo assim…) prazo.

6) Converse com quem já investiu e teve sucesso na bolsa

A vida em sociedade é essencial para os seres humanos. Nesse século, o alcance da “sociedade” se expandiu de forma avassaladora com as redes sociais. Com certeza, você conhece pessoas que obtiveram sucesso no mercado de renda variável.

Exclua dessa lista pessoas próximas, como amigos e familiares que adoram dar palpites, mas continuam na luta com seu orçamento, muitas vezes ainda com dívidas e adiando o pagamento de seu cartão de crédito. Essas pessoas podem ser ótimas para vários momentos, mas não no aconselhamento para os investidores de ações.

Se não conhecer pessoalmente pessoas que atingiram sua independência financeira investindo na bolsa, considere ler livros de grandes investidores e cartas de gestores de bons fundos de investimentos. Hoje a internet proporciona muitas alternativas adicionais, como blogs, podcasts e Youtube. Separe, entretanto, o joio do trigo.

Boas pessoas podem ajudar a você tomar melhores decisões com a queda na bolsa de valores. Encontre aquelas que estão com “skin in the game“.

7) Investir é uma estrada: estude sempre e saiba como agir nesses momentos

A baixa atual não foi a primeira e nem será a última. Se você pretende continuar no mercado financeiro tendo sucesso, você não dever parar de estudar.

Os pilares de sabedoria para se dar bem na renda variável, na verdade, não mudam muito, mas você sempre precisa se reciclar. A profusão de informações que hoje vemos na internet tendem, aos poucos, erodir esses bons fundamentos.

Essa ideia tende a ser semelhante ao tópico anterior, mas há uma diferença. Lá pensei mais em conhecer o pensamento de como agiriam na prática pessoas vencedoras, no momento de uma queda das ações na bolsa de valores.

Aqui, a ideia é conhecer fundamentos teóricos que possam ajudá-lo na estratégia para enfrentar sucessivas baixas no futuro. Entra até psicologia! é algo que vá ajudá-lo muito a longo prazo.

Livros de grandes personalidades (de fato, vencedoras – filtre os charlatões) são a melhor pedida. Mudar seu modelo mental pode fazer a diferença entre a riqueza e a pobreza no futuro. E momentos de grandes perdas na bolsa podem ser o gatilho para você, afinal, se dar conta disso.

Afinal, o que fazer, vendo todas as ações ou compro mais?

Se você ainda procura essa resposta, não entendeu como funciona o mercado de ações. Na bolsa não há muito dessa história do que é certo ou errado fazer em situações extremas como preços caindo ou subindo. Desconfie de quem tenha as respostas. O mercado já pariu e enterrou vários gurus. Muitas vezes em prazos bem curtos.

Na minha percepção, o fundamental para o investidor é estudar muito ou terceirizar suas decisões, mas sempre com um pé atrás. E mesmo, terceirizando, tirar um tempinho para diversificar de forma inteligente com uma alocação de ativos.

Além disso, o desespero de mercado em baixa é muito menor quando você vive abaixo dos seus meios. Mesmo em uma emergência financeira, eu posso sobreviver muito bem. Consigo dormir à noite tendo a certeza que sempre terei um teto e comida na mesa. Ter essa tranquilidade evita que façamos muitas besteiras no mercado de renda variável. Mudanças malfeitas no portfólio deveriam assombrar mais do que um mercado em baixa.

São esses pensamentos que vem sustentando minha independência financeira nos últimos 10 anos. Veja a história dessa jornada aqui.

E você, perdeu dinheiro com as quedas na bolsa? Como pretende agir daqui para a frente?

Explore mais o blog pelo menu no topo superior!…
Para me conhecer mais, você ainda pode… ler sobre um resumo de minha história, ouvir uma entrevista em podcast, assistir uma live no Instagram, ou adquirir um livro que reúne tudo que aprendi nos 20 anos da jornada à independência financeira.

E, se gostou do texto e do blog, por que não ajudar a divulgá-lo em suas redes sociais através dos botões de compartilhamento?

Artigos mais recentes:

5 2 votes
O texto foi bom para você?
Assine para receber as respostas em seu e-mail!
Notifique-me a
guest
10 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Renato
Renato
1 mês atrás

Mais uma bíblia que nao traz nada de novo. Parece livro de auto-ajuda ! Mas foi bem, nao falou nada errado, para iniciante serve bem

Renato
Renato
Reply to  André
1 mês atrás

tá tranquilo, quando falei simplificar é deixar mais curto, não para fazer um dumbing-down. foi mal

Guilherme
8 meses atrás

Excelente texto, André!

Até linkei seu artigo no texto que escrevi sobre o dia de ontem.

Uma de minhas regras pessoais de investimentos é sempre comprar em dia de circuit breaker.

Abraços!

Anônimo
Anônimo
Reply to  Guilherme
8 meses atrás

minha regra também!

Engenharia dos Investimentos
Engenharia dos Investimentos
8 meses atrás

Fala André! Estou lendo na data de 09-03-2020 e acabei comprando um pouco de ITSA4 e XPLG11 focando nos dividendos e na geração de renda passiva. Sobre o que você bem escreveu sobre alocação macro da carteira em diferentes classes de ativos é o que estou buscando fazer na minha carteira. Estou tranquilo com relação minha carteira, não vou mentir que a gente sempre fica com aquela ponta de desapontamento quando compra algum ativo ele continua caindo em seguida kk mas vou espaçar meu aporte ao longo do mês para ver como será. Escutei seu Podcast do SrIF e até… Leia mais »

Engenharia dos Investimentos
Engenharia dos Investimentos
Reply to  André
8 meses atrás

Com certeza André!
Esse momento está sendo de grande aprendizado e olha que já estava investindo no Joesley Day, mas lá foi só um dia.
MYPK3 foi desse jeito também, comprei em 23,97 antes do Coronavirus depois em 19,18 e 16,01 pensei que não cairia mais e advinha? Caiu kkk
“SE” a gente soubesse deixaria pra fazer uma compra só em 13,50 e pegaria ainda os dividendos mas vida que segue!

Abraços!

Acompanhe:
10
0
Por que não deixar seu comentário?x
()
x