Uma carta de pai para filho


Ideias para aconselhar seus filhos que vão muito além do gerenciamento de carteiras de investimentos e independência financeira


Nessa carta, de pai para filho, divido alguns dos valores que considero mais importantes na formação e aprendizado de nossos herdeiros.

Ela foi redigida após o nascimento de meu segundo filho, no final de 2020. Eu já havia feito algo parecido, embora com mais brevidade, quando minha filha completou 18 anos (2012) e o blog ainda nem existia.

Porém, desta vez, a carta ficou meio longa e a leitura no computador poderia tornar-se meio cansativa. Assim, decidi liberá-la gratuitamente em outros formatos, embora não da forma que pretendia.

A carta foi liberada gratuitamente em várias extensões na página do Smashwords. Inicialmente, na Amazon, ela foi disponibilizada pelo preço mínimo (R$ 1,99), mas foi liberada gratuitamente no final de agosto de 2021, após sua política de equiparação de preços.

Carta de pai para filho

Apesar dessas publicações, não foi meu objetivo torná-la similar a um livro: a ideia foi relacionar os fundamentos principais que levarão a uma boa educação, priorizando o caráter, a ética, a moral e os princípios essenciais para o desenvolvimento de um ser humano.

Justamente por isso, ela não contempla todas as ramificações secundárias que provêm desses fundamentos primários. Aí sim, se transformaria em um livro… Talvez o maior desafio nesse texto foi justamente esse: colocar o fundamental sem estendê-lo demais, a ponto de ainda podê-lo ser chamado de… carta!

De qualquer forma, ela pode ser considerada um ponto de partida para mais aprendizados. Digamos que ela poderá ser sempre complementada pelos quase 300 textos do blog, que pretendo deixar disponíveis para todos, mesmo quando eu não estiver mais por aqui.

Enfim, é um texto curto e redigido com o coração. Caso ele possa ser útil para você, aos seus próprios filhos, ou a mais alguém, agradeceria muito se pudesse deixar uma boa avaliação no site da Amazon (mesmo que tenha baixado pelo Smashwords ou lido através do blog), através desse link.

Abraço!


24/12/2020

Olá, meu filho! Enfim você chegou! Com sustos e já com uma história de cinco dias na UTI, mas com muita expectativa e amor! Estamos plenamente felizes com sua presença em nossa vida.

É estranha para seu pai a sensação de ter um novo filho após mais de 26 anos. Se, com sua irmã, eu ainda era um jovem sem experiência assustado com a paternidade, contigo as coisas foram bem diferentes: me considero bem mais preparado para lhe ajudar com as dificuldades desse mundo singular que vivemos.

Essa carta não foi escrita toda de uma vez. Diria que pouco mais de 70% dela foi concluída antes de seu nascimento, mas penei para terminá-la. Afinal, durante a pandemia, eram apenas eu e sua mãe para cuidar de você, da casa, e de sua irmã de 4 patas, realizando todas as atividades que considero como “trabalho”. Não sobrava muito tempo. E quando sobrava… estava morto de sono em função de noites mal dormidas.

De qualquer forma, com ela, pretendo deixar claro a você o que considero mais essencial para viver sua vida. São muitas coisas, é verdade. Mas precisamos fazer algumas escolhas para ser possível destacar o principal, visto que não temos todo o tempo do mundo.

Uma carta de pai para filho 1

Pode parecer estranho alguém tão jovem se interessar por todos os assuntos abordados, mas até para você, tão novo, o tempo já está correndo. E um dia ele acaba. Use-o com sabedoria.

Eu mesmo não sei até quando estarei aqui. Meu desejo mais profundo é ficar o maior tempo possível, para acompanhar seu desenvolvimento como ser humano e regalar-me com todas suas conquistas. Tenho certeza de que sua vida possuirá um relevante propósito e será significante a muitas pessoas.

Entretanto, nunca sabemos o dia de amanhã, e esta carta termina por converter-se em um “seguro” que adquiro para que você tenha contato com parte do que considero mais relevante para compreendermos em nossa existência.

Pode ser muita pretensão escrever uma carta e escolher o que é mais vital. Afinal, existem tantas coisas necessárias a dizer, meu filho… Mas, como minha intenção não foi escrever um novo livro, inauguro a lição inicial: na vida precisamos dar prioridade às coisas. E, conforme você verá adiante, ao que é realmente importante.

Dado que nosso tempo é finito, não podemos fazer tudo o que queremos. Muitas vezes, a escolha não recai somente em fazer o que queremos, mas também em fazer o que não queremos, mas o que é necessário.

Assim, nessas próximas linhas, eu priorizarei o que considero mais relevante. É possível que nem tudo seja doce aos seus ouvidos, mas são palavras fundamentais para você conseguir extrair o melhor em sua vida. Mesmo se não for agora, que seja no futuro. Mantenha-a bem guardada para lê-la e relê-la sempre que desejar.

Não se preocupe em assimilar tudo de uma vez. Muitas das atitudes necessárias a um homem não fornecem resultados imediatos, mas ajudam a construir, passo a passo, um ser humano forte e preparado para enfrentar esse mundo maluco que nos rodeia. Espero que todas essas palavras sejam extremamente úteis a você.

Não procure, entre os tópicos abaixo, uma ordem de importância ou de aplicação: tudo é significativo na mesma intensidade.

Apesar de encorajá-lo a muitas releituras (porque a cada ano de maturação você poderá descobrir novos significados ocultos em cada frase), ela deveria ser lida sempre de uma vez, para possibilitar conexões rápidas entre cada ideia. Você observará que elas estarão muito presentes.

As diferenças

Filipe, você vai conhecer centenas de pessoas em sua existência. Com elas, você vai aprender a benção de conviver com as diferenças. Existem pessoas de todos os matizes, em todos os assuntos. Veja isso pelo lado positivo, sempre.

Com as diferenças, você terá contato com ideias, percepções, compreensões, sensações e consciências diversas. Quando vivemos em nosso mundo particular, em nossa própria bolha, criamos uma zona de conforto que nos impede de alcançarmos objetivos maiores.

Você precisa estar em contato com o máximo possível de conceitos e vivências diferentes, e as pessoas são peças-chave para isso.

Lembre-se que existirá sempre alguém melhor em você em alguma atividade. E isso é bom, pois é melhor saber um pouco de tudo do que saber muito de algo. Mas não caia na tentação de se comparar com os outros.

Ok, uma vez ou outra, não temos como evitar. Mas a regra é comparar-se muito mais com você mesmo no passado. Você está evoluindo? Exija sempre seu progresso individual.

Assim, abrace as diferenças de pensamentos entre as pessoas. Não se esqueça de usar apenas os pensamentos e atitudes individuais para formar uma opinião em relação a elas, nunca por algum traço ou incapacidade física.

O essencial é invisível aos olhos: as pessoas são incríveis e podem surpreendê-lo de uma forma que você nunca imaginará. “Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si. Levam um pouco de nós.”

Ajude quando puder e enfatize sempre a realidade

Embora muitas pessoas que você conhecer na vida sejam admiráveis, muitas não serão. Nunca, entretanto, as humilhe. Apenas tente mostrar-lhes o caminho que acha correto, baseado no que aprendeu até então, sem tentar doutriná-las.

Esteja sempre presente quando as pessoas que ama precisam de ajuda. A evolução, como pessoa, ocorre quando nós, mesmo que estejamos lá na frente, sentimos vontade de buscar quem ficou para trás.

Não opine, entretanto, sem conhecer o assunto. Não queira dar opiniões em áreas que desconhece e que não possui experiência. Um bom ditado é “arrume primeiro seu quarto para posteriormente querer arrumar o mundo ou as pessoas”.

Quando não souber o que dizer, assuma seu desconhecimento no tópico em questão. Evite julgamentos. Mas há algo que sempre deve considerar para si e na ajuda aos outros: baseie-se na realidade.

A vida é difícil e não é justa. Mas, aceitando essa realidade, temos mais recursos para lidar melhor com ela. Acolhendo o que é real, propiciamos o uso das ferramentas que permitem nosso desenvolvimento.

Baseie-se sempre nos fatos, avalie-os constantemente e cheque se há variáveis de confusão. A partir deles, veja se sua tese faz sentido. Avalie sua eficiência e eficácia. Vale a pena seguir adiante?

O que não vale é mergulhar em coisas impossíveis, drenando uma energia que poderia ser usada para algo melhor. Tenha a sabedoria para discernir entre essas alternativas.

Seja entre amigos ou em família, incentive as pessoas a pensarem por conta própria e a também discordar de você. Lembre-se que todos somos indivíduos únicos. Não paute seus pensamentos. Procure também favorecer os ausentes. Eles não possuem a possibilidade de se defenderem.

Esteja ciente, entretanto, que podem existir momentos em que a pessoa que precisa de ajuda esteja em uma situação tão desesperadora onde podemos encobrir, temporariamente, a realidade. Há situações em que a esperança é a única coisa que ela tem, e você não pode tirar isso dela.

Use seu bom senso e analise individualmente cada situação. Mas lembre-se que essas situações são exceções à regra. A regra é pautar-se sempre pela realidade.

Convivência social

Ainda sobre a vida em sociedade, é importante buscar uma boa comunicação com as pessoas. Para se comunicar bem, você precisa primeiro saber o que dizer. E, para isso, é fundamental ouvir as pessoas. Não apenas “escutar”, mas sim “ouvir”. Entender o que elas estão tentando expressar.

Muitas vezes, esse entendimento vai muito além das palavras: é preciso ter empatia. Nem sempre as pessoas serão claras em sua comunicação. Lembre-se que ouvir bem leva a algo muito maior do que a boa comunicação: você pode aprender muito.

Quando for a sua vez de falar, seja claro. Não se enverede por outros assuntos ou deixe sua mensagem, de alguma forma, vaga. Seja assertivo. Pergunte a quem lhe ouve se suas palavras foram compreendidas corretamente.

Muitas desavenças ocorrem em virtude da má comunicação. E, ao menos no momento que escrevo, ela está severamente prejudicada pela profusão de aplicativos de mensagens, que torna tudo muito superficial. Cuidado com eles. Nada substitui o papo direto.

Em suas interações, agradeça mais e reclame menos. Muitas vezes, você será abençoado por estar em boa companhia: deixe ela saber disso. Muitas vezes, ela não é responsável por seus problemas: deixe-a fora deles, a não ser que você precise de sua ajuda. Não seja orgulhoso evitando pedir ajuda quando necessário, mas não faça disso um modo de vida.

Evite, também, reclamar apenas por reclamar. Isso, além de projetar uma impressão inadequada a quem te acompanha, traz um ambiente negativo em sua vida, que pode influenciar seus próximos passos e decisões.

Seja honesto em relação às suas opiniões, mas entenda a posição do outro. A divergência é possível se realizada com respeito e cordialidade. Não seja influenciado, entretanto, pelas pessoas. Se acreditar que sua postura é justa, mantenha firme sua posição.

Lembre-se que, sempre que estiver ao lado da maioria, é hora de pensar e refletir. Ela nem sempre está do lado correto da vida.

Convivência pessoal

Esteja ciente que, mesmo tentando ajudá-las, muitas pessoas não aceitarão sua posição. Porém, seu julgamento (cujo significado é diferenciar erros e acertos para valorizar o mérito, e nunca fazer intriga ou apontar defeitos) não será bem-vindo.

É possível até que elas lhe sentenciem de forma equivocada e injusta. Não force, porém, a situação. Se acreditar que fez tudo que podia, avalie a possibilidade de desistir.

Você precisa cercar-se de pessoas que amam você e admirem suas qualidades e a visão que possui do mundo. Essas pessoas devem desejar bem a você. Se perceber que há alguém que lhe quer mal, afaste-se.

Você perceberá que há muita inveja no mundo. Não compartilhe e alimente esse sentimento: abençoe aquilo que deseja e outras pessoas já possuem. Mantenha as energias negativas afastadas.

Para esse diagnóstico e separar o joio do trigo, paute-se mais na ética do caráter do que na ética da personalidade. Os princípios baseados no caráter são mais significativos e permanentes.

Escolher bem sua companheira, com quem você passará a maior parte do tempo, é algo muito importante. O amor tem um jeito peculiar de roubar nosso intelecto e pode levar a decisões irracionais baseadas unicamente em emoções.

Você será, mesmo inconscientemente, moldado pelo caráter e atitudes dela. Procure alguém que compartilhe os mesmos valores e crenças que você. Vocês não precisam concordar em tudo. Afinal, as diferenças são importantes, lembra?

Mas evite pessoas que escolheram lados por demais opostos ao que julga correto. Raramente essa convivência será harmoniosa, e as separações normalmente nos trazem muitas dores.

Pense no que elas desejam para a vida delas e das pessoas próximas. Esse é o primeiro ponto de convergência. É algo que você admira? Depois, avalie se o que elas estão fazendo para atingir o que elas querem é correto. Se ambas as respostas forem positivas, essa companhia pode ser muito gratificante para você.

Rodas de amigos são excelentes. Momentos de solitude, também!

Uma dica que poucos levam em consideração: aprenda a ficar sozinho. Por quê? Porque só podemos meditar sozinhos. Abrace a meditação.

Quando meditamos, nosso foco é alterado e observamos melhor nosso pensamento e seu padrão vigente. E alterar, mesmo marginalmente, nossa centralidade, nos fornece momentos de reflexão e autoconhecimento que não podemos alcançar se sempre estivermos acompanhados.

Meditar nos proporciona ampliar a compreensão de nossa essência, diminuindo a turbulência que existe em nossa mente. Nesse processo, somos o próprio juiz de nossos atos, sem nos preocupar em adaptar-se às expectativas dos outros, que impedem a manifestação de certos aspectos de nossa personalidade.

Apesar de seres sábios, permitimos que a rotina crie padrões de pensamento nocivos, criando medos e sofrimentos desnecessários, trazendo confusão ao que realmente somos. Meditar nos recupera a posse de nosso próprio pensamento que está ligado diretamente ao nosso verdadeiro caráter e personalidade.

Acorde cedo. Aproveite esses momentos de paz. Nesse encontro consigo mesmo, exercendo plena liberdade e autonomia, você estará mais apto a potencializar seu crescimento pessoal. Medite.

Conhecimento

Seus primeiros 20 anos serão bem mais tranquilos que os demais, meu filho. Até lá, tanto eu quanto sua mãe procuraremos dar a você todo o suporte necessário para você enfrentar esse mundo que nos rodeia.

Não que depois disso nos ausentaremos: estaremos sempre apoiando sua jornada. Mas haverá uma diferença: você precisará caminhar com as próprias pernas. Esteja ciente dessa responsabilidade e não se esqueça que ninguém lhe deve nada. E o conhecimento é fundamental para sua independência.

Afinal, você será testado pela nossa cultura, pelo nosso governo, pelas pessoas tóxicas e invejosas que farão você acreditar ser dependente de algo, mas não entre nessa. Seja autossuficiente. Chegar aonde deseja com as próprias virtudes não têm preço.

Você fará seu futuro, se, regularmente, ajustar corretamente a vela do seu barco para que ele permaneça na rota correta. Concentre-se sempre na vela, não no motor: a direção é mais importante que a velocidade.

Você é o responsável pela sua vida e sua intenção deve ser crescer para ser tão autônomo quanto possível. Não confie e dependa somente das escolas: leia muitos livros e desafie seus educadores expressando seus próprios pensamentos.

Lembra-se que citei lá no começo dessa carta que a diversidade de pensamentos entre seu círculo de amizades é benéfica? Isso vale também para os livros: leia também os autores com opiniões diferentes da sua para entender sobre outro ponto de vista. Questione-se sempre se você ainda está certo de que acredita que sabe.

Não se esqueça que todo o conhecimento do mundo vem do acúmulo do conhecimento de muitas pessoas. Procure aprimorá-lo subindo nos ombros desses gigantes que nos legaram um mundo melhor. Aprenda com eles e com toda a tradição herdada.

A civilização é uma conquista que devemos preservar e aprimorar, nunca se esquecendo dos valores morais e da ética. Abrace a responsabilidade desse projeto e evite os revolucionários cujo lema é mudar o mundo. Muitos deles ainda não saíram da adolescência.

Errar sim. Aprender com os erros, ainda melhor

Para alcançar as coisas que deseja, você precisará assumir riscos. Sair de sua zona de conforto e avançar, muitas vezes, ao desconhecido. Mas arrisque-se com responsabilidade.

Nunca aposte tudo que possui, seja dinheiro, estima, reputação ou respeito. Estabeleça limites bem definidos. Avalie sempre o custo-benefício de cada decisão tomada. E tenha uma porta de saída se algo der errado.

Nunca deixe, entretanto, de tentar. Lembre-se que 95% dos fatos que ocorrerem em sua vida são consequências de suas decisões passadas. Agir corretamente faz com que criemos hábitos, e são eles, repetidos regularmente, que nos trarão os verdadeiros resultados futuros.

Bons hábitos são os melhores meios para se fazer o correto sem exigir muito esforço. Se você os adquire previamente, nunca lamentará o tempo que gasta com eles, pois eles ajudarão a você obter resultados fantásticos de longo prazo sem necessitar realizar coisas fantásticas isoladamente.

Guarde uma provocação em sua cabeça: “Qual foi a última vez que você fez alguma coisa pela primeira vez?”. Mas lembre-se que descobrir coisas novas não significa sempre pisar em novos continentes, mas também ver com outros olhos o que você já conhece.

Em seu desenvolvimento, você poderá mudar de opiniões várias vezes sobre o mesmo assunto, e isso não é ruim. É sinal de desenvolvimento intelectual e amadurecimento. Afinal, “triste não é mudar de ideia e sim não ter ideia para mudar”.

Assumindo riscos e mudando de opinião, você errará muitas vezes. E isso também não é ruim, pois “aquele que não deseja espinhos nunca colherá as flores”. Arrisque-se!

Entretanto, você errará muito. Assumir seus erros é um passo fundamental. Não jogue a culpa para ninguém. Após seu reconhecimento, não veja os erros como um problema. Mas eles também não são a solução para nada.

Aprenda com a correção dos erros, que permitirá que você alce voos mais cada vez mais altos. E não dê importância excessiva a eles. Mesmo depois do leite derramado, é importante saber que a vida continua e que a vaca não morreu.

Planejamentos, atividades e atalhos

Saiba onde deseja chegar. Se você não possui um objetivo, corre o risco de errar eternamente ao acaso. Defina, entretanto, suas metas não por conveniência, e sim pela significância.

Na definição de seus objetivos, é fácil cair na armadilha em confundir desejos, necessidades e vontades. Todos são importantes, mas sua ordem de importância está acima.

Seus desejos, ou sonhos de longo prazo, são mais importantes. Eles lhe darão a maior satisfação quando realizados. Para alcançá-los, entretanto, você necessitará de ferramentas para facilitar sua jornada. E, para isso, terá de reprimir algumas vontades de curto prazo.

Não exagere muito, porém: “tenha a certeza em andar por um caminho onde os seus deveres não sufoquem os seus direitos de ter seus desejos”.

Ajude-se em suas atividades: não procrastine. Faça as coisas assim que elas puderem ser feitas. E seja honesto nessa sentença.

Não se esqueça também que a organização é algo muito importante para suas tarefas: ela lhe dá clareza e enaltece a prioridade de cada coisa. Ela torna sua vida mais fácil. Seja organizado!

Lembre-se que não há atalhos para o sucesso. “Acredite na sorte, e verá que quanto mais duro trabalha, mais a tem”. Muitas vezes o caminho escolhido é difícil, mas, se estiver nele, não se desvie para as imprudências.

Meu filho, você vai descobrir que pode ficar forte rapidamente com drogas. Você pode emagrecer com pílulas. Você pode subir na vida pisando nas pessoas. Você pode ganhar dinheiro com investimentos de alto risco. Mas nada disso será sustentável, além de trazer-lhe efeitos colaterais perversos.

Não tenha tanta pressa. O fardo de subir uma longa escada torna-se mais ameno quando pensamos em um degrau de cada vez. Bônus: o trajeto torna-se muito mais sustentável.

Aceite, por vezes, a dor e o desconforto. Muitas vezes, elas são necessárias e até úteis. “Nenhuma árvore pode crescer até o céu se suas raízes não atingirem o inferno”. Lembre-se também que “é no diálogo com a dor que muitas coisas belas adquirem seu valor”.

Assim, não tenha medo se o caminho se apresentar muito complicado. Avalie-o novamente, certifique-se de que ele é o correto (lembra-se da rota do barco?), planeje suas atividades de forma inteligente e crie mecanismos próprios de controle para evitar as tentações dos atalhos.

Por fim, seja otimista, vendo oportunidades nas calamidades, mesmo quando a maioria vê calamidades nas oportunidades. Faça o que gosta, mas adquira habilidade para fazê-lo.

Melhor ainda: faça algo que traga significado a alguém ou ao mundo: não espere muito para fazer algo de realmente útil à sociedade e preocupe-se sempre com um futuro numa escala de tempo maior do que a sua.

Simplicidade e finanças

Você será muito mais feliz se buscar uma vida simples. Além de focar no que realmente interessa, você não precisará priorizar as atividades apenas pensando em fazer dinheiro.

Eliminar o que não é essencial te fará uma pessoa mais sábia, pois conquistará oportunidades para pensar no que realmente importa. A capacidade de simplificar significa eliminar o desnecessário para que o necessário possa se manifestar.

No final das contas, simplificar sua vida significa maior disponibilidade de tempo, além de diminuir sua dependência do dinheiro. Ter uma vida extraordinária não passa por ter uma conta bancária extraordinária. Muitas vezes, é o seu tempo, e não o dinheiro que conquistar, que será o bem mais precioso para quem o ama.

Fique atento, entretanto, que uma vida simples não significa uma vida miserável. Você deve buscar o conforto de sua futura família, ajudar a quem precisa e possuir uma reserva financeira para ter tranquilidade.

Reconheça a virtude das pessoas (a minoria entre seu círculo de amizades) que recebem juros, e evite a compulsão das pessoas que pagam (a maioria). O devedor é escravo do credor. Sempre gaste menos do que ganhe e invista a diferença. Assimilar essas ideias é essencial para conquistar quanto antes sua independência financeira e a responsabilidade que provém dela.

Aproveite bem o tempo que a liberdade financeira e a simplicidade lhe der. Redes sociais, televisão e jogos em excesso são um atalho para a mediocridade.

Novamente, apaixone-se pelos livros, sejam aqueles que ensinam algo diretamente, mas também as histórias que nos fazem entender o processo civilizatório da humanidade, a sociedade e a alma humana. Lembre-se dos clássicos.

Você é uma alma com corpo e não um corpo com alma. Cuide de ambos. Trate-se bem. Tenha tempo. Só assim poderá cuidar de si mesmo e dos outros. Ter uma vida simples ajuda a manter essa diligência e sua perenidade.

Por fim, para tornar as coisas mais fáceis, lembre-se sempre em evitar desperdícios. Desperdícios são coisas que você não precisa, não usa ou joga fora. Há muita necessidade no mundo por coisas que estão paradas em cada casa, em cada família que conhecer.

Não cometa o mesmo erro. Doe o que pode doar e não compre o que vai desperdiçar. Isso o torna uma pessoa que promove um círculo virtuoso em sua própria vida, em outras pessoas e no mundo.

Ah, e não se esqueça de acessar o blog Viagem Lenta, mesmo que faça muito tempo que eu não escreva por lá. A maioria dos textos são atemporais. Espero que goste do que encontrar por lá…

Com amor, seu pai.

P.S.: Não sou poeta, mas tem gente que é. Guarde sempre no coração um lindo texto, a seguir.

Desejo / Os votos

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconsequentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso
E o riso constante é insano.

Desejo que você descubra,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga “Isso é meu”,
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.

Esse poema é amplamente atribuído na WEB ao poeta francês Victor Hugo. Existe uma corrente, entretanto, que o atribui ao poeta brasileiro Sérgio Jockyman. Não fui a fundo da verdade: que ela fique de tarefa para os pesquisadores natos. O que importa para mim agora, é poder transmitir tanto conhecimento embutido em apenas um poema. 🙂

Explore mais o blog pelo menu no topo superior! E para me conhecer mais, você ainda pode…
assistir uma entrevista de vídeo no YouTube
ler sobre um resumo de minha história
ouvir uma entrevista em podcast ou no YouTube
participar de um papo de boteco
curtir uma live descontraída no Instagram
… ou adquirir um livro que reúne tudo que aprendi nos 20 anos da jornada à independência financeira.

E, se gostou do texto e do blog, por que não ajudar a divulgá-lo em suas redes sociais através dos botões de compartilhamento?

Artigos mais recentes:

5 4 votes
O texto foi bom para você?
Assine para receber as respostas em seu e-mail!
Notifique-me a
guest
16 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Marcus Vinicius
Marcus Vinicius
5 meses atrás

Olá André!

Acompanho seu blog há alguns anos já, e todos os textos que li foram enriquecedores. Mas este em especial fez eu me emocionar, mesmo não sendo pai ainda. Parabéns por escrevê-lo, e por compartilhar tanto conteúdo de qualidade conosco. Desejo todo o sucesso do mundo a você e sua família, e que nunca faltem a paz e a alegria.

Grande abraço!

Uó
5 meses atrás

Fala André! Só li este post hoje, espero que tenha corrido tudo bem após o nascimento do seu filho apesar do susto. Você colocou parte do seu aprendizado de vida nesta carta, sabemos que ele só terá maturidade pare entender esta carta na sua plenitude lá pelos 30, rs. Mas o importante é irmos passando os conhecimentos aos poucos, pois quando ele ler esta carta lá na frente, passará um filme na sua cabeça e tudo que você disse fará sentido. Ser pai é isto, é nos desenvolvermos como pessoa, e aceitar também que não temos respostas para tudo. Outro… Leia mais »

Éllen
Éllen
6 meses atrás

Belíssimo André! Seu filho é um abençoado de já vir com todo esse direcionamento, e nós também por você compartilhar. Como eu gostaria de ter recebido orientações assim desde pequena. Estou reconstruindo a mim mesma com base no que aprendi na última década. Nunca é tarde para recomeçar, né?! Abraço.

Danilo
Danilo
6 meses atrás

Post sensacional André. Meus parabéns.

Forte abraço!

Gabriel
Gabriel
6 meses atrás

Texto fantástico! Parabéns, André. Muita admiração pela sua jornada. Abs

LER E POUPAR
6 meses atrás

André, que belo texto.

Feliz pelo seu filho e por vc tb.

Faço votos para que sejam muito felizes e possam compartilhar um do outro, por longos anos.

Um abraço

Sr Foda Low Cost
Sr Foda Low Cost
6 meses atrás

Boa noite André, eu sou muito grato por esse blog existir. Sempre encontro neste ambiente, forças para continuar minha jornada em busca da IF e de ser uma pessoa melhor. Essa carta para seu filho tem um conteúdo riquíssimo, que dinheiro algum paga. Obrigado por compartilhar as suas experiências. Forte abraço, vida longa e muita prosperidade.

Simplicidade e Harmonia
6 meses atrás

André, Fiquei pensando em um dia, quando o Filipe tiver maturidade suficiente para entender o belo, amplo e sábio significado de tudo o que você escreveu aqui. Ele é um garoto de sorte: já ganhou um excelente “manual de instruções”. Gostaria de destacar dois trechos: “…mas até para você, tão novo, o tempo já está correndo. E um dia ele acaba. Use-o com sabedoria.” Espero que o Filipe compreenda bem essas palavras desde cedo. De tudo o que escreveu, acho que essa é a lição mais importante. “Você será muito mais feliz se buscar uma vida simples.” Não precisamos de… Leia mais »

Acompanhe:
16
0
Por que não deixar seu comentário?x
()
x